Pensar em Animal Crossing: New Horizons, é pensar na História aprendida sobre Pedro Álvares Cabral ou Cristóvão Colombo. Grandes navegadores que descobriram terras longínquas para conquistar e, posteriormente, construir sociedades prósperas. É neste último ponto que incide o novo jogo da casa de Quioto. Há um sentido de construção gradual das nossas propriedades, mas de toda uma comunidade que germina em torno das nossas ações.

Em Animal Crossing controlam uma personagem que é moldada ao nosso gosto, pelo menos com as opções que nos são dadas. Esta personagem voa com Tom Nook, o famoso empresário da série ao qual temos de pagar as nossas sucessivas dívidas, até uma ilha deserta para a tornarmos cada vez menos despovoada. Primeiro, é-nos dada uma tenda como habitação inicial e não tarda nada para que tenhamos uma enorme lista de tarefas a realizar e uma quantidade considerável de dívida para pagar.

Aqui a política monetária assenta em dois pontos: os já conhecidos Bells e os Nook Miles. Os Bells funcionam como uma unidade monetária comum, como se fossem moedas, enquanto os Nook Miles funcionam de uma forma diferente, que visa recompensar bem o jogador. Enquanto um é transaccionado na venda e compra direta de produtos, os Nook Miles são recebidos sempre que cumprimos uma tarefa específica e são gastos num catálogo próprio de produtos variados.

Os Nook Miles, uma novidade que chega à série, são recebidos através de um programa de recompensas de Tom Nook. Vão ver à aplicação do vosso telemóvel, também uma novidade de Animal Crossing, quais são as tarefas propostas e recebem mais pontos. Basicamente, são recompensados por simplesmente jogar Animal Crossing: New Horizons. E se forem obsessivos na conclusão de tarefas vão receber bastante pontos, apesar de algumas demorarem bastante a serem concluídos.

Ultimamente, não faltam personalidades e publicações (como o Buzzfeed) com receitas e explicações para fazer pequenos trabalhos manuais. Esta lógica do "Do It Yourself", reduzido ao acrónimo DIY, chegou ao Animal Crossing e ocupa uma grande parte do jogo, porque queremos sempre construir mais, novas melhorias e mais conteúdo. Na verdade, o DIY é a funcionalidade crafting, que já se vê em inúmeros videojogos, adaptada à realidade do jogo.

Para construir, basta chegarem junto de uma mesa de trabalho específica e construirem um dos objetos que está na lista. No início vão ter que criar ferramentas, para recolher todo o tipo de material das árvores e de rochas. Um machado para recolher três tipos de madeira, uma cana de pesca para pescar peixe de água doce ou salgada ou uma rede para apanhar diversos tipos de insetos. Enfim, New Horizons continua a estar bastante virado para o colecionismo, um exercício muito recompensador. É empolgante estarmos atentos às horas do dia ou aos locais pelos quais passamos para recolhermos os vários tipos de insetos que existem para expô-los no museu de Blathers.

Quando começarem a jogar New Horizons, o melhor é jogarem em curtos períodos de tempo. Mais tarde, com tanto que haverá para fazer, esses períodos vão alongar-se bastante, dando até para consumir toda a bateria da consola. Haverá mais itens para recolher, mais projetos DIY para construir e mais dinheiro para fazer com as vossas vendas para conseguirem pagar o empréstimo da vossa casa. E se quiserem a vossa habitação ainda maior, será feita uma nova dívida a Tom Nook, bastante maior que a anterior.

Tal como em outros títulos Animal Crossing, o relógio interno e o calendário do jogo estão de acordo com a nossa realidade e hemisfério que escolhemos no início do jogo. Se jogarem à noite até se vão poder cruzar com um pequeno fantasma, é raro não encontrar qualquer atividade nova para fazer. E, se alguma vez me sentir perdido, basta fazer as atividades que me dão Nook Miles adicionais. Podem até jogar com outros sete jogadores e partilhar a mesma ilha, um feito impressionante que abre espaço a novas interações sociais cooperativas.

Jogar New Horizons é uma oportunidade fantástica para se ligarem a outras pessoas, nomeadamente nesta altura de isolamento social. Podem ser os mais jovens o público que a Nintendo visa vender o jogo, mas haverá certamente uma grande audiência de adultos que estará interessada em adquirir um título tão pacífico e relaxante como este. Todas as criaturas personificadas querem conhecer-vos e serem vossos amigos. Não faltarão situações em que travar algumas conversas com estes animais coloridos vos vá fazer sorrir pela tão boa disposição que têm, até quando vos criticam por estarem a usar sempre a mesma roupa.

Aqui estão sempre de férias, não são obrigados a trabalhar para a vossa dívida. Se são felizes a jogar com uma casa pequena e recheada de mobília, porquê pagar a vossa dívida? Podem sempre pescar e colecionar todos os peixes e outras criaturas marinhas. E também podem aumentar a vossa coleção de insetos, sejam eles grandes ou pequenos. Contudo, há sempre aquela aura que paira no jogo de que há algo mais a que não temos acesso e que será provavelmente desbloqueado com o pagamento da dívida.

New Horizons está no seu melhor quando mostra a sua grande ambição. Animal Crossing sempre foi um jogo para colecionadores e jogadores ávidos com a recolha de fósseis, insetos e vida aquática. São vocês a ser a força comunitária principal para o desenvolvimento da ilha, porque vão escolher a localização de novos edifícios, como vão poder moldar a paisagem da vossa ilha com a vossa pá. Este jogo é vosso e só vosso, New Horizons não se farta de o demonstrar com as suas mecânicas.

Animal Crossing: New Horizons é uma obra com um grafismo fantástico, não há nada que não nos faça sentir felicidade em qualquer altura do dia. Até a noite tem muitas surpresas reservadas para nós. O próprio detalhe das árvores e das folhas que abanam vigorosamente quando o vento sopra, dão mais vida ao jogo.

New Horizons é um jogo praticamente obrigatório para quem tem uma Nintendo Switch. Porém, entende-se perfeitamente se este título não vá agradar a todos, dada a sua natureza tão descontraida. Todas as mecânicas de Animal Crossing reforçam a nossa continuidade no jogo, salientam que temos muito a fazer num jogo com uma tão grande pacatez.