por - Mar 25, 2015

Cities XXL Análise

Por motivos conceptuais, a própria estrutura daquilo que vamos classificar daqui em diante como um city-building game, trata-se de um agregado de várias faculdades. Não só na medida em que a sua produção envolve a conjugação de várias virtudes, mas também – e perdoem-me a ambiguidade de palavras – porque nela podemos ver diferentes áreas intelectuais. Propondo-me a gerir uma cidade como um todo, esperava ser confrontando com problemas de Engenharia Civil, Paisagística, Ordenamento do Território ou o que quer que seja que lhe queiram chamar, todos eles interligados pelo elemento comum da Gestão.

A realidade porém, não é essa de certo. Cities XXL propõem-se aos jogadores como um misto de ferramentas que podem ser utilizadas livremente sem particular ponderação, retirando desde o início grande parte do prazer inerente à dificuldade que gerir uma cidade colossal se poderia tornar.

Especificando, o único pormenor que vos impede de povoar indiscriminadamente uma cidade cheia de gente próspera (elites sociais) está relacionado com a presença de determinadas infra-estruturas no espaço circundante. A questão porém, é que este tipo de dependências nunca chegam a tornar-se verdadeiros entraves, já que a construção dos edifícios desejados está a distância de alguns cliques, sem que surjam impedimentos à sua construção desbarata.

A longo prazo, este conceito acaba por fazer de Cities XXL um jogo meramente mecânico, que não oferece grande desafio a nível cognitivo. Face a esse problema, devo dizer que os momentos de maior satisfação acabaram por estar inevitavelmente relacionados com a forma como o jogador pode ir relaxando e apreciando as paisagens da obra, preocupando-se quase unicamente com a criação de uma cidade esteticamente aprazível.

Cities XXL

Dessas dezenas de paisagens disponíveis – lista à qual apenas foram adicionados cinco novos cenários em relação à iteração anterior – o deslumbre só continua a ser ligeiramente deteriorado pelos programas gráficos que ocorrem de forma ocasional, ainda que não estraguem a experiência de jogo. Mesmo com o aperfeiçoamento do motor gráfico a ser uma das bandeiras defendidas pela Focus durante todo o processo de produção, na prática a evolução não se verifica com tanta proeminência.

Nessa lista de sempre pertinente referência onde constam as inovações implementadas relativamente à versão anterior, poucos mais são os artigos dignos de registo. A inclusão de edifícios ambientalmente sustentáveis consegue conferir mais opções ao jogador mas acaba por não ter impacte na jogabilidade já que lidar com a poluição (também) nunca chega a ser um problema que nos cause dores de cabeça.

E é precisamente à medida que vamos desvendando (a ausência) de trunfos que justifiquem (sequer) a existência desta obra, que vamos estranhando cada vez mais as sessões de jogo. Especificamente para aqueles que tinham pegado nos títulos anteriores, a experiência de passar algumas horas com esta nova obra pode tornar-se num déjà vu de proporções nada vulgares na indústria atual.

O conceito é o mesmo, com os mesmos alicerces, os mesmos meios e os mesmos fins. A razão que poderia justificar uma nova aquisição dentro da série, passaria pela inclusão de novos mecanismos, novos instrumentos na construção de cidades e novos desafios ao nível da sua gestão. Infelizmente porém, nesse campo a Focus Home Interactive acaba por se conformar com um redondo zero.

Cities xxl

Face a estas premissas, o silogismo óbvio passa por inferir que Cities XXL faz um escasso esforço para provar que merece respirar neste mercado. É evidente que se trata da melhor forma em que o jogo alguma vez esteve, mas o material apresentado pela produtora francesa poderia perfeitamente ter sido disponibilizado sob a forma de uma atualização sem que alguém ficasse chocado com isso.

E para reiterar todas essas semelhanças exageradas com o lançamento que o antecedeu, basta analisar a forma algo invulgar como Cities XXL conseguiu cumprir uma maratona de produção autêntica desde a data em que foi anunciado, em novembro do ano passado, tendo chegado ao Steam poucos meses depois, no inicio deste ano.

veredito

Cities XXL chega a um mercado de jogos de "city building" que poderia liderar com alguma facilidade. Para tristeza dos fãs porém, esse destacamento acaba por funcionar da maneira inversa.
3 Relaxante em certos momentos. Déjà vu colossal. “Novidades” não justificam a compra. Problemas com o motor mantém-se.

Comentários

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments

Cities XXL

para PC

Cities XXL is a city-building computer game developed by Focus Home Interactive…

Lançado originalmente:

05 February 2015