Filipe Urriça por - Jul 12, 2018

Crash Bandicoot N.Sane Trilogy (Switch) – Análise

Os fãs pediram e obtiveram o que desejaram. Todavia, a exclusividade faz exatamente o que a própria palavra indica: exclui. E já que Crash Bandicoot não é uma propriedade da Sony, a Activision lançou a renovada trilogia para quem não tem uma PlayStation – afinal a Activision só opera de forma a que os seus lucros sejam os maiores possíveis e era impensável que este lançamento não fosse além da PlayStation 4. Este texto, no entanto, só abordará a versão que foi desenvolvida para a Nintendo Switch, a única versão portátil do jogo. 

Avaliar um título na consola híbrida da casa de Quioto, quando também foi lançado em plataformas tecnicamente mais capazes, vai fazer com que estejamos mais atentos à sua qualidade quanto ao processamento gráfico. Todavia, um jogo não se analisa apenas pela sua capacidade em se manter graficamente impressionante.

Não obstante, não se pode negar o impressionante que é ver Crash Bandicoot N.Sane Trilogy na Nintendo Switch no modo portátil. Assim, a casa dos melhores títulos de plataformas recebe, na sua mais recente consola, um pacote muito bom com três jogos reconstruídos para uma nova audiência, sem grandes compromissos técnicos. 

Além dos jogos que foram lançados de 1996 a 1998 na primeira PlayStation – Crash Bandicoot, Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Again e Crash Bandicoot 3: Warped -, há dois novos níveis criados especificamente para esta coletânea. Stormy Ascent está em Crash Bandicoot, enquanto Future Tense está no terceiro jogo. Sinceramente, durante as minhas sessões de jogo, fiquei muito mais satisfeito com Future Tense do que com o frustrante Stormy Ascent.

Se há algo que o novo nível do primeiro jogo faz é sublinhar com veemência a falta de equilíbrio na sua jogabilidade, assim como o que a equipa da Naughty Dog aprendeu e melhorou nos jogos seguintes. Future Tense pode ser jogado sem esperar que fique disponível, ao contrário do outro que necessita de ser desbloqueado. Como pode muito bem ser o primeiro nível a escolher, é sempre preferível ver o que é que o jogo original tem reservado para vocês e, uma vez habituados às mecânicas, de seguida passem para a surpresa da Vicarious Visions. 

Esta colecção de três jogos é facilmente recomendável, ainda mais se forem fãs Nintendo. A Nintendo ainda é das poucas empresas que não abandonou por completo os jogos de plataformas e quem tem uma consola da marca de Quioto é muito provável que goste deste tipo de jogos desafiantes. O sucesso da série Crash Bandicoot foi o que tornou possível a existência de The Last of Us ou Uncharted; da Naughty Dog ser uma referência da marca PlayStation e da própria indústria dos videojogos. 

É difícil não recomendar Crash Bandicoot N.Sane Trilogy na Nintendo Switch. É um conjunto que não fica caro por três jogos, mesmo que estes sejam clássicos dos anos noventa. Finalmente, houve uma quebra da exclusividade e só os jogadores é que ficam a ganhar com a possibilidade de poderem comprar uma excelente série num só conjunto.

veredito

Um trio de jogos de plataformas excelente, apesar do primeiro ficar aquém dos restantes. Ultrapassar dificuldades com uma jogabilidade tão apurada, deixa de ser frustrante e passa a ser bastante recompensador.
8 Design dos níveis. Jogabilidade não chega a ser frustrante. Variedade de desafios. Primeiro jogo do conjunto.

Comentários

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments

Crash Bandicoot N. Sane Trilogy (Switch)

para Nintendo Switch

Crash Bandicoot N. Sane Trilogy is a platform video game compilation developed…

Lançado originalmente:

29 June 2018