Com o aprimorar das infraestruturas online e o aumento da acessibilidade para se encontrar jogadores com quem partilharem experiências e testarem as suas habilidades, a componente multijogador local com amigos no sofá tem sido gradualmente substituída por uma competitividade, nem sempre saudável, via redes sem fio ou cabos Ethernet. Os títulos de combate são um exemplo claro disto mesmo. O que em tempos foi o género de eleição para tardes passadas com amigos em frente à televisão e de comando na mão, é agora dominado pela cena competitiva e com socialização reduzida.

Guilty gear xrd

Talvez por isso, ou talvez por outros motivos, as obras de combate têm-se tornado cada vez mais experiências desfrutadas por um grupo cada vez mais restrito de jogadores. Se antes ser o melhor jogador do grupo de amigos era sinónimo de ser o melhor jogador de sempre, agora são precisos apenas dois ou três combates online para perceberem o quão distorcida à vossa perceção da realidade estava. Dito isto, o martelar desenfreado de botões para arrancar uma vitória contra um perito do género proporciona não raras vezes uma satisfação que é difícil replicar em outros tipos de jogos.

A série Guilty Gear Xrd tem sido celebrada pela qualidade da sua jogabilidade e pela sua capacidade de agradar tanto aos jogadores casuais como aos veteranos do género. Mais do que uma sequela, Revelator é uma expansão daquilo que Sign ofereceu quando chegou ao mercado em junho do ano passado. O mesmo é dizer que as novidades introduzidas pelo novo capítulo estão longe de serem suficientes para justificar a aquisição da nova iteração, embora os fãs da série e, mais concretamente, os seguidores da sua narrativa tenham aqui alguns incentivos para morderem o isco.

Guilty gear xrd revelator

Começando por aí mesmo, o modo história é o principal fator que distingue esta entrada da série do seu antecessor. Revelator conta uma narrativa completamente nova e que tem lugar após os eventos do jogo anterior. Apesar de uma longa introdução que resume tudo aquilo que sucedeu anteriormente, a verdade é que a história é de uma forma geral demasiado confusa e recheada de diferentes personagens e ramos narrativos que torna bastante difícil o acompanhamento e até mesmo a compreensão.

Claro que não ajuda o facto da narrativa estar repleta de clichés e da vasta maioria das personagens não serem mais do que estereótipos - existe uma personagem feminina, cujo principalmente traço de personalidade é o facto de ser obcecada com o casamento -, mas o principal defeito deste modo prende-se com o facto de serem várias horas de cinemáticas sem quaisquer momentos de jogabilidade e que não possui um arco narrativo minimamente interessante para justificar a sua existência e, acima de tudo, a sua importância como parte da experiência.

Guilty gear xrd revelator

Independentemente da qualidade da escrita, das personagens ou da narrativa propriamente dita, o modo de história num jogo de combate deve dar aos jogadores um incentivo e uma oportunidade para testar os diferentes lutadores que compõe o seu plantel, algo que Guilty Gear nem sequer tenta capitalizar, transformando um pedaço significativo da sua experiência completamente insignificante para todos os jogadores que não tiverem interesse na narrativa. Ainda assim, os fãs desta componente da série terão bastante com que se entreter nesta iteração, embora a inexistência de vozes em inglês seja, pessoalmente, mais um obstáculo à captação do interesse de quem não está particularmente investido nos eventos que se vão desenrolando.

Juntamente com a nova narrativa, Guilty Gear Xrd -Revelator- introduz igualmente novos lutadores que fazem o número de personagens ultrapassar por larga margem as duas dezenas. Podem não ser particularmente interessantes no que diz respeito a motivações e personalidades, mas o importante é que são satisfatórias de utilizar em batalha e diversificadas tanto no seu estilo de combate, como na sua aparência estética. O mesmo se aplica a todas as personagens que de regressam de Sign e que oferecem uma enorme variedade de estratégias e abordagens aos combates.

Guilty gear xrd revelator

Significa isso que nem todas as personagens são apropriadas para uma mesma abordagem ao combate, ou seja, enquanto umas personagens são eficazes, mesmo sem obrigarem os jogadores a memorizar combinações, outras requerem uma maior mestria para se tornarem opções válidas contra jogadores mais talentosos. Apesar de contar com tutoriais e modos de treino para melhorarem as vossas capacidades e experimentarem os diferentes lutadores, Guilty Gear Xrd não é propriamente convidativo para jogadores casuais, sobretudo devido à ausência de vários modos de jogo passíveis de serem jogados a solo que são habituais em obras do género.

Apesar disso, a obra merece ser aplaudida pelo controlo total que dá aos jogadores a oportunidade de configurar e mapear os diferentes botões do comando para construírem a configuração que desejarem e, mais importante que isso, que vos permite ter uma experiência mais agradável e acessível. Adicionalmente, o título conta igualmente com dois modos de controlo: Technical, mais indicado para os veteranos destas andanças e que pretendem ter o máximo de opções e controlo sobre as personagens, e Stylish, que torna as combinações mais acessíveis para os restantes jogadores.

Guilty gear xrd revelator

Se dentro dos cenários de combate as opções são vastas e diversificadas, a jogabilidade é sólida e profunda, as personagens são numerosas e distintas entre si, fora dos combates as opções são estranhamente pobres e desinspiradas. Como referi anteriormente, a ausência de modos capazes de manterem os jogadores casuais interessados no título é por demais evidente. Na verdade, apenas o modo arcada, que serve como um prólogo do modo história para cada uma das personagens, é capaz de se manter interessante, uma vez que não existem os tradicionais modos de contrarrelógio, de sobrevivência ou até de equipas de várias lutadores e não, não me estou a referir necessariamente a combates tag team.

Para se manter fresco e recompensador, Guilty Gear Xrd -Revelator- depende indubitavelmente da sua componente online, algo que nem sempre corresponde às expectativas. Nas várias vezes que tentei enveredar por este modo de jogo do título dei por mim a perder demasiado tempo até conseguir finalmente encontrar um adversário. Isto verifica-se devido à inexistência de uma ferramenta de emparelhamento aleatório de jogadores, o que significa que têm de escolher manualmente o servidor a que se pretendem juntar, existindo servidores para os diferentes continentes e países, e depois procurar manualmente um jogador disponível. Infelizmente, a fraca população dos servidores não facilita em nada este processo.

Guilty gear xrd revelator

Relativamente ao departamento técnico, o título da Arc System Works serve-se de um grafismo cel-shaded extremamente bonito e excecionalmente animado que produz cenários bastante apelativos e que se distanciam das restantes obras do género atualmente no mercado. Não é um portento gráfico, mas ver um jogo de combate esteticamente agradável sem qualquer efeito negativo na fluidez da ação é algo impressionante. A banda sonora não é propriamente memorável, mas faz mais do que suficiente para acompanhar a experiência e assegurar o ritmo frenético da ação.

Guilty Gear Xrd -Revelator- é uma sólida adição ao catálogo da já longa série de combate, mas que se torna difícil de recomendar a jogadores que tenham adquirido a iteração lançada no ano passado. A jogabilidade é aprimorada e satisfatória e o vasto leque de personagens oferece vários estilos e opções para os combates, contudo, os poucos modos de jogo disponíveis e a rudimentar componente online impedem-no de se tornar uma compra obrigatória.