Celebrizados pela sua acessibilidade e capacidade de introduzir um toque de humor mais juvenil a algumas das propriedades intelectuais mais populares nas mais diversas indústrias de entretenimento, os títulos LEGO têm-se mantido sólidos com o avançar dos anos e com o acumular de entradas que são adicionadas ao seu catálogo todos os anos. Ainda assim, a solidez de uma experiência está longe de ser suficiente para combater a fatiga que começa aos poucos a apoderar-se destas obras.

Lego marvel avengers.png

LEGO Marvel's Avengers é mais um exemplo claro disso mesmo e, embora seja uma experiência com as mesmas qualidades e defeitos de todas as outras obras da série, está bastante longe de fazer o suficiente para refrescar e introduzir uma nova vida ao cerne da jogabilidade que tem pautado estes jogos. Infelizmente, o facto de ser uma obra inspirada em narrativas previamente construídas apenas serve para limitar ainda mais a criatividade da produtora que se vê forçada a manter-se fiel ao produto original.

Como é facilmente deduzível pelo seu título, esta obra baseia-se nos inúmeros filmes do Universo Cinemático da Marvel que chegaram ao mercado nos últimos anos catapultados pelo sucesso inesperado de Iron Man (Homem de Ferro, em português) em 2008. Desta forma, a narrativa segue os eventos das principais obras tanto da primeira como da segunda fase de filmes que levaram até aos acontecimentos de Vingadores e Vingadores: Era de Ultron, respetivamente.

Lego marvel avengers 2.png

Ainda assim, é importante salientar que apenas estes dois últimos foram recriados quase na íntegra em LEGO Marvel's Avengers, uma vez que as restantes películas, nas quais se incluem Capitão América: O Primeiro Vingador, Iron Man 3, Thor: Dark World e Capitão América: O Soldado do Inverno, apenas contam com os seus momentos de maior impacto neste título.

Apesar de ser uma decisão compreensível, o facto de estes filmes estarem renegados pela campanha principal faz com que possam ser facilmente negligenciados por jogadores menos atentos, sendo que seria bastante mais interessante introduzi-los no arco narrativo do jogo como uma ponte de transição entre Vingadores e Era de Ultron, da mesma forma que um flashback do primeiro filme do Capitão América foi utilizado na história de Vingadores.

Lego marvel avengers 3.png

No entanto, tal não acontece e o resultado final acaba por ser uma campanha que segue as duas películas cinematográficas principais de forma fiel, mas que nunca consegue justificar verdadeiramente a sua adaptação ao universo LEGO através da introdução de novas ideias. Se o facto de os diálogos serem retirados diretamente dos filmes é sinónimo de qualidade neste departamento, também é inegável que dificultam bastante a introdução do humor habitual destes títulos de forma orgânica na narrativa.

Limitado às cinemáticas, o humor falha quase sempre o seu objetivo, não só por ser muitas vezes o equivalente cómico a ver alguém escorregar numa casca de banana e cair, mas sobretudo porque cria uma dissonância clara entre o tom com que as linhas de diálogo são entregues e as macacadas que as personagens estão a fazer no ecrã. Significa isto que um dos elementos em que as obras LEGO mais se destacam está longe do seu melhor em LEGO Marvel's Avengers.

Lego marvel avengers 4.png

No que diz respeito à jogabilidade, esta é essencialmente mais uma experiência LEGO tradicional como tantas outras que têm chegado ao mercado recentemente. Puzzles, exploração e combate são os três elementos que estão no cerne da interação do jogador com o mundo de jogo, mantendo-se todos eles a um nível bastante acessível de forma a garantir que, tal como as restantes entradas da série, qualquer pessoa, casual ou hardcore, pode desfrutar a obra de igual forma.

Se já jogaram um título LEGO anteriormente, não terão qualquer problema em avançar pelos vários níveis da campanha, alternando entre personagens para tirar partido das suas habilidades únicas e dessa forma destruir obstáculos, bem como martelando os botões de ataque para destruir os inimigos e objetos presentes no cenário para amealhar os studs que poderão depois utilizar para desbloquear novas personagens. Estes níveis contam também com os habituais objetivos secundários que incluem, inclusivamente, salvar Stan Lee dos constantes apuros em que se encontra.

Lego marvel avengers 5.png

Entre os vários níveis, existem também pequenos mundos abertos inspirados nas diferentes áreas visitadas nos filmes que servem sobretudo como incentivo à exploração para os colecionistas. Pode ser acusada de ser demasiado simples, mas a verdade é que a jogabilidade destes títulos serve perfeitamente o seu propósito, mesmo quando por vezes os puzzles deixam algo a desejar e se verifica um uso e abuso de minijogos que não testam em nada a habilidade ou inteligência do jogador, algo que acontece com alguma frequência nesta obra.

Graficamente, LEGO Marvel's Avengers é um título que não deixará nenhum jogador de queixo caído, mas que aproveita claramente o maior poderio da atual geração para criar ambientes mais detalhados e com texturas bem definidas que apenas são realçados pela qualidade dos efeitos de luz em alguns cenários. Relativamente ao departamento sonoro, a obra serve-se praticamente na totalidade da banda sonora dos filmes em que se baseia e dos diálogos dos mesmos, pelo que a qualidade estaria sempre assegurada.

Lego marvel avengers 6.png

Assim sendo, a mais recente obra da TT Games é mais uma adição sólida no seu vasto catálogo de adaptações ao universo LEGO de populares propriedades intelectuais. No entanto, uma jogabilidade que não introduz nada de novo relativamente aos títulos anteriores e o fraco humor presente nas cinemáticas está longe de ajudar a obra a combater a fatiga que já começa a afetar estas experiências. LEGO Marvel's Avengers é uma obra interessante para perderem algumas horas, mas pouco mais que isso.