por - Feb 23, 2015

LISA Análise

LISA é um projecto do Kickstarter que foi financiado com sucesso a 14 de dezembro de 2013. Na página do projeto este é descrito como um jogo sobre sobrevivência, sacrifício e pervertidos. Esta descrição resume e eufemiza habilmente o que realmente é o jogo. Porque dizer que LISA é um jogo estranho é um grande eufemismo. É inegável que não é um jogo para toda a gente, e parte do seu encanto nasce desta qualidade de esquisito que o título possui.

A história que assenta num universo pós-apocalíptico como pano de fundo, segue Brad Armstrong, um ex-instrutor de karaté. Enquanto ele deambula pela vida, nas ruínas perto de Olathe, apesar de ser um homem forte é viciado na droga chamada Joy. Esta, entorpece as emoções, o que faz com que seja muito cobiçada num mundo onde toda a gente quer esquecer o que se passa. Sem a droga, Brad é afetado pelos sintomas do seu desmame. Usando a droga, ele sente que está a criar um hábito que não quer continuar. A única coisa boa na vida de Brad é Buddy, a única rapariga no mundo.

A primeira vez que conhecemos Brad, ele e os seus companheiros estão a ser espancados por bullies, quando os amigos ainda eram crianças. Depois de uma caminhada até casa encontramos o pai de Brad, um horrível cliché paternal falante. Todos os sintomas estão lá, o fato de este apoiar o que os bullies acabaram de fazer ao seu próprio filho, castigá-lo por algo que não merecia, e o desprezo com que trata o filho. As questões parentais estão presentes durante todo o jogo, porque Brad vê em Buddy uma oportunidade para se redimir, para fazer algo diferente do pai.

Em termos de jogabilidade tem arestas por limar, às vezes a mais simples ação de tentar transpor uma pequena fenda, que em qualquer outro jogo de plataformas era perfeita para saltar, torna-se um obstáculo intransponível que nos leva a fazer uma jornada muito maior para chegar a um sítio que está a 20 pixeis de distância. O combate ao estilo JRPG em que temos connosco um grupo de amigos que a cada turno pode atacar, curar, louvar, irritar e até aborrecer com palavras o inimigo, é diferente o suficiente e contém momentos divertidos quanto baste para que não se torne um empecilho.

A banda sonora é um ponto alto no jogo, muito ao estilo de Hotline Miami, é perfeita para a atmosfera que querem criar no jogo. Nos combates, as músicas aumentam em intensidade e fazem com que o combate por turnos que naturalmente é menos emocionante que em tempo real, fique muito mais cativante. Nas secções de exploração é igualmente adequada, mais calma, mais de acordo com um mundo que se tornou num grande deserto árido.

LISA é uma viagem pelos meandros de um mundo que expôs tudo o que é mau da humanidade, tal como Hotline Miami, na sua beleza pixelizada distribui violência gratuitamente. E ao mesmo tempo consegue ter piada, consegue exibir o ridículo das situações. Está longe de ser perfeito, aliás, a história precisava de mais trabalho, e a jogabilidade pode ser melhorada. Mesmo assim, é uma jornada que vale a pena fazer, e quem sabe se num próximo jogo toda esta atmosfera possa ter um impacto mais forte nos jogadores.

veredito

LISA é uma viagem pelos meandros de um mundo que expôs tudo o que é mau da humanidade, e é uma jornada que vale a pena fazer.
7 Excelente banda sonora. Atmosfera envolvente. Jogabilidade limitada.

Comentários

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments

LISA

para PC
LISA

The miserable journey of a broken man…

Lançado originalmente:

15 December 2014