Depois de uma primeira temporada claramente mais longa do que seria necessário e recheada de altos e baixos, Minecraft: Story Mode viu ser lançado, no decorrer desta semana, o seu último capítulo - pelo menos por agora -, adequadamente denominado A Journey's End?. Mais do que o término da primeira sequência de episódios, a nova entrada representa o fim da mirabolante aventura da Nova Ordem da Pedra e, tal como todo o percurso anterior, também o seu encerramento se apresenta algo inconsistente.

Minecraft story mode

Continuando o arco narrativo que tem ligado os episódios mais recentes e que vê os nossos protagonistas prosseguirem com a sua procura pelo portal que lhes permita regressar ao seu mundo de origem, a nova aventura de Jesse e companhia coloca-os num mundo onde os seus habitantes são feitos prisioneiros e obrigados a participar em competições de combate para tentarem, nos quais os vencedores são premiados com a liberdade, enquanto os derrotados são forçados a trabalhar nas minas.

Como facilmente se percebe, o conceito não é propriamente inovador, especialmente tendo em conta que vivemos numa era recheada de filmes e livros como The Hunger Games e outras obras do género, mas a execução é suficiente boa para que este seja um episódio que nos mantém interessados e investidos na narrativa do princípio até ao fim. Graças em grande parte ao excelente trabalho de voz de Jim Cummings que assume o papel de principal antagonista deste capítulo, sendo responsável pelos seus melhores momentos.

Minecraft story mode

A Journey's End? é também mais eficaz que episódios anteriores no que diz respeito às suas tentativas de humor, muito embora esses momentos sejam fornecidos quase em exclusivo por uma única personagem. Contudo, o último capítulo da primeira temporada de Minecraft: Story Mode sofre de vários problemas que o impedem de se afirmar como um dos melhores da série episódica, problemas que vão para lá dos habituais soluços técnicos de que sofrem praticamente todas as obras da Telltale Games.

Refiro-me, por exemplo, ao ritmo inconstante do episódio que começa de forma intensa, apenas para depois o abrandar de forma demasiado notória com puzzles que têm tanto de acessíveis como de desnecessários e monótonos. Apesar de serem jogos de aventura, as obras da Telltale apresentam-se desprovidos dos quebra-cabeças obtusos que caracterizam o género, preferindo focar atenções na narrativa e nas decisões do jogador, opção que torna os seus títulos bem apelativos para a generalidade do público. Dessa forma, não se percebe o porquê da introdução esporádico de puzzles nestes jogos, ou melhor, percebe-se que é para aumentar a longevidade, mas raramente são satisfatórios.

Minecraft story mode

Para além disso, algumas revelações e reviravoltas existentes neste capítulo são incrivelmente previsíveis, tirando todo e qualquer tipo de impacto a momentos que deveriam ser pontos altos da experiência. Mas mesmo ignorando os plot twists, A Journey's End? conta com inúmeras situações em que se percebe que a produtora procurava atingir notas dramáticas mais elevadas, mas que acabaram por não ter o impacto desejado por diversos motivos, seja eles um trabalho de voz menos entusiástico, uma escrita menos eficaz, uma banda sonora incapaz de acompanhar o momento ou uma conjugação destes fatores.

Não sendo um episódio fraco, o capítulo conclusivo da primeira temporada de Minecraft: Story Mode está muito longe do que de melhor a série já nos ofereceu nestes últimos meses. A narrativa é interessante e o vilão proporciona alguns momentos memoráveis graças à sua imponência e assertividade sempre que surge no ecrã, mas estes elementos são prejudicados por um ritmo inconstante e inúmeros momentos que não têm o impacto pretendido pela produtora. Tal como toda a restante série, A Journey's End? oferece uma experiência sólida, mas que nunca chega a ser particularmente espetacular ou excecional.