Imaginem o seguinte cenário: são convidado para um jantar em casa de uma família desconhecida. À mesa, os comensais começam a sentar-se e à vossa frente o lugar é ocupado pelo presidente da Nintendo, Satoru Iwata. Ao seu lado, reparam em alguém que partilha o apelido com a personalidade mencionada. Com o desenrolar da conversa, percebem finalmente que é o seu irmão. Com quem é que vão continuar siderados? Exatamente. É isso que Luigi sentiu em todos estes anos em que o protagonismo foi dado a Mario, o seu irmão gémeo.

A Nintendo parece ter sido despertada com uma metáfora idêntica e decidiu que 2013 seria o ano de Luigi. Depois de vários lançados em que o protagonismo é dado ao irmão do boné verde, eis que chega ao mercado New Super Luigi U. Se estão a coçar a cabeça e a pensar que este título vos soa familiar, têm toda a razão em estar desconfiados. Super Luigi U é uma expansão para New Super Mario Bros. U, jogo que serviu de cicerone à chegada da Nintendo Wii U mercado. Antes de começar a enumerar as alterações, convém deixar bem explicito em que condições esta expansão chega ao mercado. Neste momento, podem comprar New Super Luigi U diretamente na eShop da consola caseira da Nintendo, porém, têm que ter Super Mario Bros. U comprado e atualizado para o conseguirem jogar.

Contudo, no próximo dia 26 de julho chegará às lojas uma versão física desta expansão dedicada a Luigi que não necessitará do jogo original para ser experimentado.

Agora que já podem decidir com conhecimento de causa que versão querem comprar, passemos às novidades que o protagonismo de Luigi coloca em cima da mesa. Considerem as novidades suficientes ou escassas, não demorarão muito tempo até as experimentarem na primeira pessoa. Os oitenta e dois níveis foram trabalhados para serem explorados por Luigi têm que ser concluídos dentro de cem segundos, o novo tempo alocado para que o jogador consiga hastear a bandeira. Além disso, comparando Luigi e Mario como protagonistas, facilmente perceberão que Luigi salta mais alto, contudo, demora mais tempo a mudar de direção. Além disto, poderão ainda vestir a pele do Coelharápio nas partidas multijogador.

Agora que já conhecem a lista de novidades presentes, o mais certo é já terem feito alguns juízos de valor sobre a importância desta expansão no mercado atual. Todavia, deixem-me explicar-vos o impacto que elas têm na jogabilidade e como é impreterível o esforço que até os jogadores mais experientes vão ter que fazer. Existem alguns jogos que ditam as suas leis mas que vão perdoando os erros dos jogadores, com uma dificuldade que se vai torneando de acordo com a dificuldade escolhida, de acordo com aquilo que o jogador quer fazer do jogo. New Super Luigi U não é um desses jogos. Tal como foi explicado há umas linhas atrás, as novas leis são estas, para chegarem ao final do jogo terão que se moldar a cada uma destas novidades.

Podem parecer poucas no papel, porém, se juntarmos a redução do tempo com os ajustes feitos ao comportamento do Luigi, nomeadamente, o poder de salto maior e a dificuldade em mudar de direção, sentimos que as velhas mnemónicas físicas que os jogadores desenvolveram durante as horas que empregaram em New Super Mario Bros. U não resultam aqui. O importante é perceberem que mesmo antes de se fazerem ao nível, a redução do tempo para cem segundos é uma pressão quase catatónica, uma vez que não é menos verdade que os níveis foram encurtados para que a sua conclusão fosse possível.

Vão morrer e muito provavelmente vão proferir impropérios dirigidos ao ecrã da vossa televisão ou a Takashi Tezuka se souberem que foi ele o principal designer do jogo. Quando saem de casa num dia de chuva, saberem que se vão molhar é parte do processo para acelerarem o passo; começar a jogar New Super Luigi U com a certeza que vão morrer é crucial para começarem a perceber que estão a jogar um novo jogo. Depois de passar algumas horas com o jogo, reparei num fenómeno curioso: a minha psique aprendeu as novas contingências antes das minhas mãos, o que resultou em vários momentos em que retive os novos movimentos, processei-os e tive um nanossegundo para pensar que aquele salto, ou aquela viragem para a esquerda foi feita demasiado tarde.

Quem jogou New Super Mario Bros. U conhece perfeitamente o Coelharápio, a tradução portuguesa para o ladrão Nabbit. Sim, ele continua a esgueirar-se ocasionalmente pelos níveis completados enquanto vocês o tentam apanhar, porém, agora é possível jogar com ele, desde que estejam dispostos a partilhar o jogo com alguém. Exclusivo dos modos multijogador, Coelharápio junta-se a Luigi e ao Toad Amarelo e Azul como personagens jogáveis. Todavia, existem alguns pormenores interessantes inerentes à sua escolha. Assim, todos os itens a que o Coelharápio deitar a mão são automaticamente convertidos em vidas, apesar de apenas poder recolher oito por nível; não pode usar itens, não pode ser apanhado pelos outros jogadores, etc. Ou seja, as mudanças introduzidas pelas personagens prendem-se, sobretudo, com dar um novo toque à jogabilidade, tal como aconteceu com as novidades que leram ao modo principal.

Querem outra novidade? Sim, também está relacionada com a jogabilidade do jogo. New Super Luigi U pode ser jogado com o Pro Controller. Felizmente, como a versão da consola que comprei foi a que chegou ao mercado juntamente com ZombiU, tinha um comando à mão e pude testar esta nova funcionalidade. Apesar de ser exigido algum tempo pela habituação à nova localização - tenham em mente que até aqui tinha jogado com o GamePad - o comando comporta-se bem, eliminando aquele enorme que o GamePad coloca entre as mãos do jogador. Não irá mudar o mundo de ninguém, mas é uma boa alternativa disponível. Para que a verdade permaneça imaculada, impera referir que depois de atualizarem New Super Mario Bros. U para que o jogo possa receber a expansão aqui analisada, o jogo original também passa a suportar este comando.

Tecnicamente, a linhagem de jogos Mario e Luigi em alta definição que foi iniciada com a chegada da Nintendo Wii U ao mercado permanece inalterada, ou seja, graficamente estamos perante vivido, resplandecente que não pede licença a ninguém para reviverem a vossa infância com a tecnologia do quotidiano. Nota-se que a Nintendo não quer romper com a fórmula que a ajuda a vender consolas desde que o primeiro Mario chegou ao mercado há trinta anos.

Se leram a análise até aqui, facilmente perceberão que as grandes novidades que New Super Luigi U coloca no catálogo da Nintendo Wii U prendem-se essencialmente com a sua jogabilidade. Podem ir consultar a lista oficial de alterações feitas e certamente chegarão a uma conclusão idêntica à minha. Não sei se a gigante de Quioto fez isto de propósito, mas a ideia com que fique é que querem dar uma diferente dimensão a Luigi além da diferente cor das suas vestes. Sim, são irmãos gémeos mas não têm que se mexer da mesma maneira, não têm que abordar os mesmos níveis e, sobretudo, não têm que ser indistinguíveis às mãos dos jogadores.