A série Persona é uma das poucas na indústria que conseguiu com sucesso expandir-se para géneros diferentes daquele em que se tornou conhecida. Para a maioria dos jogadores, Persona é responsável por alguns dos melhores RPG provenientes do território nipónico do passado recente, sendo um exemplo claro disso o facto de Persona 4 Golden ser considerado por muitos o melhor título disponível atualmente no catálogo da PlayStation Vita.

No entanto, a mais recente entrada inspirada na série da Atlus prova mais uma vez a qualidade da mesma enquanto uma obra integrante do género de combate. Persona 4 Arena Ultimax é uma sequela direta de Persona 4 Arena e consegue novamente entregar uma experiência capaz de agradar ao fãs deste género e também aos jogadores mais habituados aos RPG graças ao extenso modo história e à jogabilidade com profundidade suficiente para se manter interessante durante largas horas.

Como seria expectável, o modo de jogo mais interessante e ao qual dedicarão mais horas será o modo história. Acompanhado pelas personagens de Persona 3 e Persona 4, o jogador terá à sua disposição muitos e longos diálogos que rapidamente o vão relembrar das origens da série. Ainda assim, há que louvar a possibilidade de poder evitar por completo estes diálogos, uma vez que será complicado acompanhar a narrativa para aqueles que não estiverem familiarizados com os eventos dos títulos anteriores, embora o título se esforce para os recapitular no início da aventura.

Sendo uma sequela de Persona 4 Arena, a história começa logo após os eventos da obra anterior e vê novamente os protagonistas a serem forçados a participar num torneio de combate até à morte organizado pelo General Teddie. Para além de tentarem descobrir quem é o verdadeiro responsável pelos acontecimentos destes jogos, os heróis estão também obrigados a vencer o torneio P1-Climax para evitar a destruição do seu mundo.

A narrativa não prima pela sua complexidade, mas é mais do que competente para manter o jogador interessado no desenrolar dos eventos. Mais do que o arco narrativo, são as personagens diversificadas e as interações entre as mesmas que agradarão à legião de fãs da série. Contada sobretudo através de caixas de diálogo, a história apresenta também algumas cinemáticas muito bem conseguidas que aproximam o título a uma série anime.

Apesar dos vários diálogos entre os protagonistas fazerem as delícias dos jogadores provenientes da série RPG, não deixa de ser um pouco exagerado o intervalo de tempo entre os combates que compõe este modo, podendo chegar mesmo a ultrapassar os dez minutos. Felizmente, todos os diálogos são vocalizados, evitando que sejam obrigados a ler várias linhas de texto até chegarem finalmente à ação propriamente dita. As vozes inglesas são competentes, embora apresentem um registo demasiado próximo daquele a que nos habituamos em desenhos animados.

Tal como referi anteriormente, o combate apresenta uma profundidade considerável, mas consegue simultaneamente ser acessível para jogadores casuais, sendo assim capaz de captar tanto os fãs da série como os fãs deste género de títulos. Premir botões aleatoriamente pode ser suficiente para arrancarem algumas vitórias, mas dediquem-lhe algum tempo e descobrirão que o combate de Persona 4 Arena Ultimax possui várias mecânicas que lhe conferem a complexidade que impede que a obra se torne cansativa após umas horas.

Superficialmente, combinações e ataques especiais relacionados com o uso das Persona de cada um dos personagens jogáveis são as mecânicas principais da jogabilidade do título. Acedam ao modo de treino e rapidamente vão descobrir que o leque de ações de cada lutador vai muito para além disso, com bloqueios e a utilização da barra de raiva a desempenharem papéis importantes no desfecho de cada batalha. Na verdade, serão precisas várias horas para descobrirem todo o arsenal que o jogo coloca à vossa disposição, sendo que tirar o máximo proveito do mesmo depende apenas da dedicação do jogador.

Dito isto, não deixa de ser um pouco estranho que o jogo nos permita ganhar com bastante facilidade algumas batalhas. Posso dizer que consegui obter várias vitórias perfeitas, ou seja, sem sofrer qualquer dano, pressionando apenas o mesmo botão de rosto repetidamente e esta experiência foi realizada na dificuldade "Normal", supostamente a dificuldade mais adequada à maioria dos jogadores.

No que diz respeito aos modos de jogo disponíveis, para além dos previamente mencionados modo história e modo treino, Persona 4 Arena Ultimax conta também com os habituais modos arcada e versus, bem como o modo Golden Arena, uma espécie de modo sobrevivência que vos obriga a ganhar um número especifico de combates, recuperando apenas uma pequena porção de saúde para a batalha seguinte.

Já o modo desafio funciona como um método interessante para os jogadores aprenderem novos movimentos. Como é óbvio, podem também tentar provar o vosso valor contra jogadores de todo o mundo através do modo online. Apesar de tudo, estes modos acabam por não oferecer nada de refrescante à experiência, sendo facilmente ofuscados pelo modo história.

Graficamente, o título mantém-se fiel ao estilo visual a que a série nos habituou, isto é, inspirado nas séries de televisão anime, mantendo-se sempre bastante competente, apesar da ação frenética que preenche o ecrã. Pode não deslumbrar, mas é um estilo visual único que se adapta na perfeição ao género de combate. Por outro lado, a banda sonora não faz nada para se destacar, limitando-se simplesmente a acompanhar a experiência.

Persona 4 Arena Ultimax é uma experiência bastante agradável que aproveita os melhores elementos dos seus títulos RPG, ou seja, as suas personagens e escrita, e junta-os a uma jogabilidade com a complexidade que se exige a um bom título de combate. O modo história é o seu principal condimento e felizmente oferece várias horas de jogo, mas não deixa de ser desapontante a ausência de outros modos de jogo que fujam à norma do que é habitual neste género.