Em meia década, a Yacht Club Games conseguiu edificar um universo inspirado em clássicos que marcaram a época da Nintendo Entertainment System. Depois de terem pedido ajuda no Kickstarter para criar Shovel Knight, a resposta não tardou a chegar e deu para financiar o jogo principal e as campanhas adicionais. O dinheiro ainda foi suficiente para a criação de Shovel Knight Showdown - um jogo de luta ao estilo de Super Smash Bros. que junta heróis e vilões presentes em Shovel Knight: Treasure Trove.

Foram cinco anos fenomenais com as campanhas Shovel of Hope, Plague of Shadows, Spectre of Torment e King of Cards, assim como Shovel Knight Showdown que também tem a sua narrativa, apesar de ser um jogo de luta. Showdown até era para ser um simples modo adicional, porém, houve um empenho tão grande que o labor resultou num jogo completo.

Shovel Knight Showdown mantém-se próximo da experiência que a produtora desenvolveu até aqui com Treasure Trove. Contudo, também não é erro nenhum afirmar que Showdown é muito díspar das quatro outras campanhas. Em vez de usarmos as habilidades de cada personagem para ultrapassar um nível cheio de plataformas, estas são utilizadas para combater contra outros heróis e vilões.

O último jogo do conjunto Teasure Trove colocar-vos-á em diferentes cenários para aniquilar os vossos oponentes, realizar alguns objetivos ou colecionar uma quantidade pré-definida de pedras preciosas antes dos vossos adversários. Normalmente, os palcos da batalha onde lutam são estáticos, todavia, há outros que têm um certo dinamismo para tornar o combate um quanto mais apelativo. Outros cenários apresentam alguns perigos, como os lacaios de Troupple King ou elementos destrutíveis que alteram a composição do campo de batalha. São detalhes que fazem com que prestemos mais atenção ao que nos rodeia e que, por sua vez, tornam as partidas muito divertidas.

Este título, tal como em todos os outros videojogos de luta, para ser uma boa opção para quem joga necessita de um bom elenco de lutadores. Felizmente, no universo Shovel Knight os heróis e vilões são muito variados - não há duas personagens que atacam da mesma forma -, o que confere ao jogo uma experiência muito interessante e pouco repetitiva. Cada um dos lutadores tem um ataque básico, outro especial (que é normalmente um projétil) e um movimento defensivo para se esquivarem de ataques que venham na vossa direção.

Podia muito bem começar com Shovel Knight como a minha primeira personagem principal para completar a campanha (e aprender as bases do jogo), mas preferi não utilizar nenhum dos protagonistas das campanhas de Tresure Trove e preferi optar por um outro lutador. Pessoalmente, queria experimentar Shield Knight e Polar Knight, dado que um usa um escudo para atacar e outro tem dimensões muito maiores que os restantes lutadores. É sempre bom ter um leque tão variado de personagens, não só pelos ataques diferentes que temos à disposição, como pela conjugação de outros elementos para criar estratégias eficazes de combate.

Saltar e atacar continua a estar muito afinado, assim a jogabilidade e os controlos proporcionam uma experiência gratificante. No entanto, os tipos de jogos de Showdown tornam a experiência um pouco limitadora; colecionar pedras preciosas num dos modos de jogo não é algo que permaneça divertido durante muito tempo. Instala-se um certo cansaço, mas felizmente jogar no modo multijogador local refresca a experiência. Vocês podem experimentar jogar as partidas até quatro jogadores tanto no modo de batalha como no modo de história.

O auge do modo de história é com uma batalha contra um boss, dividida em duas partes, que é igual para todas as personagens. Infelizmente, até esta batalha começa com uma secção onde temos de recolher pedras preciosas, antes de oferecer uma experiência mais tradicional e distinta dos outros modos. Apesar da opção de jogar com um jogador estar presente, não se deixem enganar: Shovel Knight Showdown é muito melhor no modo multijogador. É muito mais interessante jogar contra os vossos amigos ou familiares do que simplesmente combater um inteligência artificial previsível.

Graficamente, Showdown impressiona pelo design dos níveis que coloca à nossa frente, principalmente aqueles que oferecem mais perigos. Em termos da sonoplatia, Jake Kaufman assina novamente uma composição de músicas excelente, o que nos motiva a abrir o Spotify para ouvir os temas do jogo, mesmo depois de já termos desligado a consola.

Infelizmente, os modos de jogo de Showdown não impressionam o suficiente, apesar de termos motivos para continuar a desbloquear personagens, campos de batalha e armaduras. Shovel Knight Showdown é bom para sessões curtas com amigos ou para algumas partidas no modo de história, mas os modos de jogo repetitivos limitam a diversão. É, decididamente, o título menos apelativo da coleção Treasure Trove.