A TT Games tem desenvolvido, nos últimos anos, um excelente trabalho no que diz respeito à adaptação de universos reconhecidos e adorados pelo público geral ao mundo LEGO, com destaque para a aplicação desta fórmula nos universos Marvel, DC e de O Senhor dos Anéis. No entanto, a sua mais recente obra representa um desafio totalmente diferente daquele a que o estúdio está habituado, uma vez que, pela primeira vez, estamos perante um jogo LEGO baseado verdadeiramente no seu próprio universo, mais concretamente em LEGO - O Filme. A película cinematográfica produzida pela Warner Bros. Pictures chegou aos cinemas portugueses esta semana e, como é óbvio, um videojogo inspirado no filme foi também lançado para o mercado, ficando no ar a pergunta sobre se o novo título manterá a qualidade a que a produtora nos tem habituado ou se seguirá a regra de que jogos baseados em filmes resultam em produtos de fraca qualidade.

Tal como o enredo do filme em que baseia, LEGO Movie Videogame começa com o ataque de Lord Business à fortaleza do mago e sábio Vitruvius para reclamar um artefacto capaz de congelar qualquer objeto ou ser, chamado Kragle. De acordo com a profecia declamada pelo mago, a existência de uma Piece of Resistance que apenas será encontrada por alguém designado Special é a única esperança da humanidade para colocar término às aspirações do vilão. Emmet, um simples trabalhador da construção civil, acaba por acidentalmente encontrar a tão preciosa peça, tornando-se assim um herói improvável. Apesar de não conseguir transmitir o mesmo peso emocional que a visualização do filme proporciona, a história é bem conseguida e permite manter-nos interessados durante a totalidade da experiência.

Se estão curiosos por saber se devem ou não jogar o título antes de verem o filme, deixem-me que vos diga que todas as cinemáticas do jogo são retiradas diretamente da obra cinematográfica. Se por um lado isto confere um realismo e qualidade extra a toda a experiência, por outro lado, também significa que, assim como o título não adiciona nada para aqueles que já viram o filme, acaba por contar quase toda a aventura aos jogadores que ainda não se tenham deslocado à sala de cinema mais próxima. Como seria expectável, o humor habitual associado ao jogo LEGO e partilhado com o filme marca presença constante na aventura de Emmet, roubando também alguns dos momentos mais engraçados do filme.

De uma forma geral, a nova entrada da série não adiciona nada de novo ou revolucionário à fórmula LEGO e esse é, sem dúvida, o seu maior problema. O combate, as sequências de plataformas e a condução de alguns veículos permanecem iguais a títulos passados, o que significa que os fãs destes jogos se sentirão em casa nesta nova aventura, mas aqueles que não os apreciaram, não encontrarão aqui nada que lhes tente a dar uma segunda oportunidade à série. Todas as mecânicas da jogabilidade funcionam de forma competente, mas o facto de serem incrivelmente simples poderá impedir o jogo de apelar a um maior número de jogadores.

Como nos títulos anteriores, LEGO Movie Videogame conta no seu elenco com um número gigantesco de personagens jogáveis que desempenham papéis fundamentais no filme, entre os quais estão Emmet, Vitruvius, Wildstyle e Batman. Cada uma das personagens possui as suas próprias habilidades especiais e quase todos os níveis do jogo passam por saber conjugá-las de forma a avançar na história, conferindo assim um elemento de puzzles à experiência. A troca entre as personagens é feita através do pressionar de um único botão, sendo bastante rápida e intuitiva. Uma das novidades implementadas pelo novo jogo é a distinção entre Regular Builders e Master Builders. Enquanto os primeiros apenas conseguem construir objetos a partir de manuais de instruções, os segundos são capazes de criar algo totalmente novo através de objetos LEGO presentes no cenário. Construir objetos através de manuais de instruções assenta num minijogo de seleção rápida de, entre várias peças disponíveis, escolher aquela de que necessitamos para a conclusão da construção.

Infelizmente, o charme LEGO e o humor não são suficientes para abafar a natureza repetitiva dos níveis, algo notório sobretudo na primeira metade da aventura. Quase todas as sequências estão divididas em três passos: encontrar os livros de instruções, construir o objeto e avançar para a nova área. Esta repetição é especialmente desoladora quando percebemos que os níveis que fogem a esses três passos são aqueles que proporcionam uma maior diversão, uma vez que são extremamente bem conseguidos e evitam que se instale a monotonia. Apesar das constantes piadas proferidas pelos protagonistas, a jogabilidade oferece também vários momentos genuinamente engraçados que arrancarão sorrisos até ao jogador mais carrancudo.

Graficamente, LEGO Movie Videogame é jogo extremamente belo, fiel ao estilo do seu universo e com um mundo incrivelmente detalhado e realista. Está longe de ser um colosso técnico, mas faz um trabalho imaculado em transportar a atmosfera do grande ecrã para a experiência jogável. Destaque ainda para o facto de, devido a estarmos perante uma adaptação de um filme LEGO, pela primeira vez termos cenários construídos na sua totalidade por estas peças, o que permite também que quase todos os objetos que vos rodeiam sejam destrutíveis. A banda sonora está também a altura do resto da obra e contribui de forma decisiva para a atmosfera do jogo, variando consoante estejam ou não em combate e também o cenário onde se encontram. Ainda assim, o grande destaque vai para o fenomenal trabalho de voz dos atores que dão vida às personagens na obra cinematográfica que tornam tudo mais credível e, mais importante que isso, engraçado.

Concluindo, a nova entrada da série LEGO é mais uma boa adição à mesma, oferecendo tudo aquilo que os seus fãs esperam de si, ou seja, mais uma experiência sólida e divertida. LEGO Movie é apelativo e acessível para jogadores de todas as idades e nunca assume como um título apenas para o público mais jovem. No entanto, a ausência daquele charme de ver um universo famoso ser transformado em LEGO acaba por tornar tudo menos especial e brilhante. A aventura de Emmet merece a atenção de qualquer fã da série e tem conteúdo suficiente para vos manter interessados durante horas e horas a fio.

Versão analisada: PlayStation 4.