por - Oct 1, 2018

Yakuza Kiwami 2 – Análise

Demorou certamente muito mais do que seria desejável a atingir a merecida popularidade em territórios ocidentais, mas porque mais vale tarde que nunca, a SEGA não tem desperdiçado a oportunidade para capitalizar o enorme e surpreendente sucesso de Yakuza 0, trazendo até à nova geração de consolas – e uma nova geração de jogadores – edições revitalizadas dos dois jogos originais da saga de Kiryu sob a forma de Yakuza Kiwami e Yakuza Kiwami 2. 

A vontade em aproveitar a renovada atenção recebida pela série foi tanta que o ocidente assistiu ao lançamento de quatro obras em menos de dois anos. Passaram 19 meses entre o lançamento de Yakuza 0 em janeiro de 2017 e a chegada ao mercado de Yakuza Kiwami 2 em agosto deste ano, sendo que pelo meio verificou-se o lançamento de Yakuza Kiwami e de Yakuza 6: The Song of Life, este último responsável por encerrar a narrativa da série protagonizada por Kazuma Kiryu.

Dirão os mais cautelosos que tanto lançamento em tão pouco tempo não é saudável e poderá levar à saturação de uma série que esperou largos anos para ver a sua qualidade devidamente reconhecida, e a verdade é que essas vozes têm claramente algum mérito nessa consideração. Apesar da qualidade continuar bem presente, a fórmula dos títulos mantém-se demasiado familiar entre estes lançamentos para conseguir evitar o normal cansaço associado a lançamentos sucessivos. 

De certa forma, Yakuza Kiwami 2 é vítima das circunstâncias em que chega ao mercado. Ao não ser capaz de surpreender da mesma forma que os títulos que antecederam a sua estreia nas lojas, a obra do estúdio Ryu Ga Gotoku sofre com a saturação provocada pelos recentes lançamentos em catadupa. Não tivessem novos e antigos fãs já desfrutado de três obras da série num espaço de poucos meses e Yakuza Kiwami 2 podia apresentar-se como uma experiência mais fresca, mas tal não é o caso.

Ainda assim, isso não impede que esta sequela seja mais um impressionante refazer e reimaginar de um jogo lançado na velhinha PlayStation 2 há mais de uma década. Graças à utilização do mesmo motor de jogo que deu vida a Yakuza 6, estamos perante uma obra que, mesmo estando longe de competir com o que de melhor se faz no departamento técnico nesta indústria atualmente, esconde por completo a sua idade ao entregar ruas recheadas de cor e vida e uma modelagem das personagens bastante competente. Algumas animações em determinadas cinemáticas são algo questionáveis, mas nada que quebre a imersão.

Seja em Kamurocho ou em Sotenbori, a série sempre teve na forma como transporta os seus jogadores e os deixa perderem-se numa cultura diferente uma das suas principais características e isso não é exceção neste título. Para além de servirem como um recreio repleto de atividades secundárias que permitem ao jogador levar a aventura ao seu ritmo, estes dois compactos mundos abertos que a obra coloca à disposição mostram-nos um pedaço importante da cultura nipónica, nomeadamente os locais de diversão diurna e, principalmente, noturna, locais onde o dia acaba mais tarde e as ruas tardam em ficar desertas.

É certo que não é a primeira vez que percorremos estes espaços, mas o fascínio está sempre lá, sobretudo porque nunca sabemos aquilo que a próxima missão secundária que decidirmos realizar tem preparada para nós. Sim, Yakuza Kiwami 2 continua sem ter quaisquer problemas em abraçar o ridículo e em subverter as nossas expectativas em relação às ações que esperamos ver o nosso protagonista realizar ou até a normal sequência de eventos de um pedido aparentemente mundano que acaba por se revelar o completo oposto.

Mais uma vez, a forma como a série consegue combinar o ridículo e o cómico do seu mundo e das suas personagens com a seriedade e o alto peso emocional do seu arco narrativo principal continua a impressionar e é um dos principais trunfos destes títulos. Dito isto, a narrativa de Yakuza 2 não é claramente tão cativante como as histórias entregues por Yakuza 0 e Yakuza Kiwami, por exemplo, e o jogo sofre de forma óbvia com isso. Numa obra que se mantém mecanicamente tão semelhante aos antecessores, a narrativa assume um papel de ainda maior preponderância na função de manter os jogadores investidos na sua experiência.

Claro que em retrospetiva a história de Yakuza é indubitavelmente melhor com o contexto adicional fornecido pela prequela Yakuza 0 em relação a Nishikiyama, ainda assim, o título original da saga de Kiryu tinha na relação do protagonista com Haruka um dos seus melhores elementos. Uma vez que Haruka está relegada para um plano secundário na sequela, a obra tem dificuldades em construir uma história assente praticamente apenas em personagens novas para a série. Sim, é verdade que quando os créditos rolarem pelo ecrã já estarão completamente investidos na aventura, mas para chegar lá terão de passar por um arranque lento e por uma campanha que guarda os seus trunfos até bem tarde.

Adicionalmente, Yakuza Kiwami 2 transforma também igualmente dois minijogos – Clan Creator e Hostess Club – em pequenas campanhas secundárias com a sua própria narrativa que oferecem uma distração por várias horas do arco narrativo principal. Clan Creator caracteriza-se essencialmente pela oferta de batalhas de estratégia em tempo real em que têm de defender o equipamento da Majima Construction de ataques por parte daqueles que pretendem obter os direitos de exploração de Kamurocho Hills. Existe pessoal para recrutar, equipamento para tornar mais resistente e uma dose saudável de Goro Majima para manter as coisas interessantes.

Por sua vez, a linha narrativa de Hostess Club coloca Kiryu na função de um gerente deste espaço de entretenimento, o que envolve igualmente o recrutamento de talento feminino com diferentes clientes com diferentes preferências e a melhoria gradual do plantel disponível. Nesta narrativa, o jogador utilizará o seu desempenho durante as noites de trabalho para elevar a reputação do seu espaço de forma a permitir-lhe participar e competir com outros estabelecimentos pelo título de melhor Hostess Club do país. Se jogaram Yakuza 0 já saberão como é que este minijogo funciona e sim, continua igualmente viciante.

Finalmente, consciente da popularidade de Majima e da sua presença algo escassa na narrativa principal de Yakuza 2, Kiwami 2 oferece igualmente uma curta campanha protagonizada pelo Mad Dog of Shimano que serve como uma espécie de ponte entre os eventos do título original e da sequela, ou seja, durante a ausência de um ano de Kiryu da vida do Tojo Clan. Não é muito longa, mas permite-nos passar mais algum tempo com aquela que é considerada por muitos a melhor personagem da série.

Como já referi, a jogabilidade do título segue os moldes tradicionais da série, apresentando o mesmo combate corpo-a-corpo fluído e visualmente espetacular que é expectável de uma obra Yakuza. Mais uma vez, existem melhorias para serem obtidas e novas habilidades para serem desbloqueadas, embora seja algo desapontante que muitas dessas habilidades que têm de ser desbloqueadas sejam habilidades que já tinham sido obtidas no seu antecessor. O facto da forma mais fácil de obter pontos de experiência ser através da ingestão de comida nos vários restaurantes de Kamurocho e Sotenbori é também uma opção de design algo questionável.

Apesar de não ser capaz de surpreender da mesma forma que os lançamentos mais recentes e de sofrer com o facto de ser o quarto lançamento da série em menos de dois anos, Yakuza Kiwami 2 corresponderá certamente às expectativas daqueles que se deixaram render pelos encantos da saga que goza agora de uma popularidade nunca antes vista. Não é a melhor das obras que chegaram ao mercado desde a estreia de Yakuza 0 no ocidente, mas continua a ser uma experiência de qualidade.

veredito

Yakuza Kiwami 2 é um notável trabalho de revitalização de uma obra lançada há mais de uma década, contudo, a sua fórmula não traz grandes novidades em relação ao antecessor e a narrativa demora demasiado a mostrar os seus trunfos.
7 Recheado de conteúdo. Jogabilidade continua sólida. Narrativa demora a ganhar tração. Fórmula demasiado familiar.

Comentários

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments

Yakuza Kiwami 2

para PlayStation 4

Lançado originalmente:

28 August 2018