Numa primeira leitura do título do jogo da britânica Playtonic Games, Yooka-Laylee and the Impossible Lair é bastante óbvio naquilo que quer oferecer. Felizmente, é muito mais que uma mera denominação e uma entrada bem mais interessante do que a obra publicada em 2017, pois além de evitar os erros de um jogo de plataformas inspirado em clássicos dos anos noventa, também oferece conteúdo com um design muito melhor.

Tudo o que se faz em Yooka-Laylee and the Impossible Lair tem um único propósito: preparar-vos para conseguirem vencer o Impossible Lair. Este último nível, que pode ser enfrentado sempre que quiserem, é praticamente impossível suplantar se forem sem treino na jogabilidade ou sem o equipamento necessário para vos ajudar. E mesmo que estejam apetrechados de itens, continua a ser um desafio bastante difícil de ultrapassar.

Impossible Lair faz um seguimento da história do original Yooka-Laylee, que mantém Capital B como o vosso inimigo principal. Desta vez, a abelha Capital B tem um novo plano maquiavélico: utilizar um aparelho denominado de Hive Mind para escravizar todas as abelhas da colmeia, incluindo a sua rainha. Porém, podem libertar as abelhas uma a uma, a cada nível que terminam, mas o objetivo mantém-se: é preciso fazer com que Capital B seja derrotado e retirar-lhe o Hive Mind.

Os minutos de abertura do jogo são um pequeno prólogo daquilo que vão poder fazer ao longo da obra. Quando chegam ao Imppossible Lair, não têm grandes hipóteses de conquistar a vitória e acabam, eventualmente, por sucumbir às investidas de Capital B. O que vocês precisam é de uma maior defesa, para poderem aguentar os ataques do boss final, não de poder ofensivo.

E é exatamente isso que vão amealhar a cada nível ultrapassado. Ou seja, passar um determinado nível dá-vos a hipótese de permanecerem mais tempo no combate. É para isso que cada abelha salva, as que são recuperadas no fim de cada nível, nos aproxima da iminente vitória. São duas dezenas de níveis para salvar abelhas, que na prática servem para nos fazer aumentar os nossos pontos de defesa.

Yooka-Laylee and the Impossible Lair continua a ser um jogo de plataformas, mas desta vez controlam o dueto de personagens - o camaleão e o morcego - num plano bidimensional. Agora já não temos aquela confusão que havia com o original, o que permite haver uma maior precisão nos saltos e em todos movimentos que temos de efetuar para atravessar as plataformas do jogo.

Não é algo inovador, Impossible Lair é mais um jogo que presta homenagem aos melhores títulos deste género, nomeadamente aos foram lançados na Nintendo 64. Aqui foi conseguido coerência, sem ser negligente quanto ao caráter desafiante do género. Como é óbvio, há muitos segredos para descobrir e cabe a quem joga sentir-se motivado para encontrá-los, pois não ficarão desapontados. A globalidade da obra consegue oferecer um genuíno sentimento de recompensa por completar objetivos de cada um dos níveis que nos são colocados à frente.

Contudo, não foi negada a importância do mundo de Yooka-Laylee and the Impossible Lair, onde nos deslocamos para selecionar os níveis em que queremos entrar. Existem outros segredos neste local, normalmente vamos sentir-nos com uma vontade de descobrir mais tónicos que alteram a jogabilidade. Mas também há um grande interesse em explorar para revelar uns simples atalhos e ver as interligações que há no mundo dos dois protagonistas.

A exploração so mundo de jogo incentiva o jogador a descobrir formas de conseguir experimentar versões alternativas dos níveis que já terminaram. Enquanto que no jogo original podiam jogar uma versão mais extensa dos níveis que já percorreram, aqui há uma alteração física. Por exemplo, se congelarem um nível onde há jatos de água, estes passam a ser blocos de gelo que vos levam a locais diferentes.

É uma forma astuta de criar o dobro dos níveis, ou seja, os vinte disponíveis passam a ser quarenta. O que é fenomenal, é que passar novamente pelos mesmo níveis não é uma tarefa cansativa, porque não se chega a instalar uma sensação de repetição ou frustração. Obviamente, tudo isto é opcional em Impossible Lair, nunca esquecendo que o último nível onde está Capital B aguarda por vocês quando se sentirem confortáveis para enfrentá-lo.

Yooka-Laylee and the Impossible Lair ganha imenso por ser muito mais coerente que o original de há dois anos. O final é um verdadeiro teste à vossa paciência e habilidades adquiridas ao longo dos níveis que decidiram jogar. Não há muito a dizer em termos do grafismo, porém é bom saber que continua a oferecer uma generosa paleta de cores pelos níveis que nos leva. Ao contrário do original, este título recomenda-se facilmente para quem gosta de jogos de plataformas ou para quem quer investir em algo que dará uma boa quantidade de níveis para completar.