Foregone pode parecer mais um jogo de plataformas de ação com elementos roguelite no mercado, mas felizmente não o é. Tem um toque único, sem exagerar nos elementos sujeitos à aleatoriedade, que o destaca da oferta no mercado saturado de títulos metroidvania. Os elementos metroidvania e roguelite existem, mas foram organizados de uma forma para tornar a experiência linear.

Desta forma, Foregone consegue destacar-se da concorrência, não adianta ser mais um Dead Cells ou uma proposta similar a qualquer outra obra que cai na mesma categoria para depois não vender o desejado pelos autores do jogo. Foregone tem um certo foco na personalização da personagem que utilizamos, como tem uma surpreendente ênfase na construção da sua história e do mundo em que se desenrola a narrativa.

Os jogadores assumem o papel da primeira "Arbiter", uma autoridade judicial que representa uma nova geração de soldados poderosos para combater forças maléficas designadas de Harrow. Estas forças, é explicado, invadiram a cidade mais tecnologicamente avançada da humanidade, Calagan. Nesta altura, o jogo está ainda na fase de testes na loja digital da Epic Games, algo similar ao Early Access do Steam. Portanto, não admira que o conteúdo narrativo é uma das partes menos desenvolvidas do título.

Se estão familiarizados com títulos como Dead Cells, então não vão estranhar o que Foregone tem para vos oferecer em termos de conteúdo e de mecânicas da jogabilidade. A forma como se movimenta o nosso Arbiter pode parecer romba, mas à medida que se progride adquirimos novas técnicas para nos deslocarmos no cenário. Será, mais tarde, possível deslizar junto dos inimigos para evitar serem atacados, executar o tradicional salto duplo, assim como darmos um impulso numa qualquer direção após um salto.

Visto que Foregone não se rege pelos tradicionalismos de um metroidvania, os jogadores não serão convidados ou incentivados a regressarem a uma área previamente visitada para poderem aceder a uma passagem que estava bloqueada. É agradável descobrir um jogo como Foregone que também abandona a estrutura aleatória de níveis dos roguelite, para serem algo minuciosamente criados pelos produtores de forma a fazerem-nos progredir pela sua visão muito clara daquilo que querem proporcionar aos jogadores. Isto, não invalida a inclusão de surpresas num determinado nível, ou sermos surpreendidos por um inimigo que nos fará estar mais atento.

O design dos níveis pode não estar sujeito a nenhuma aleatoriedade, o que não significa que os produtores tenham abandonado por completo esta característica intrínseca aos roguelite. A aleatoriedade existe nas armas e no sistema de loot, e nesta fase do desenvolvimento existem seis tipos de armas: espadas curtas, punhais, espadas enormes, pistolas, caçadeiras e flechas para serem disparadas com um arco apropriado para o efeito. Cada uma delas tem efeitos de vários tipos, como uma caçadeira que tem força suficiente para fazer recuar o inimigo da sua posição inicial, ou ainda outra que é capaz de causar danos colaterais ao longo do tempo.

Há armas únicas, capazes de vos fazerem querer trocar sempre que necessário, até porque há bosses ou inimigos mais fortes que estão mais suscetíveis a certos tipos armas ou dos efeitos secundários que possam ter. Por exemplo, há inimigos que vos dão um período muito limitado de tempo para atacarem até voltarem ao seu padrão ofensivo ou defensivo habitual, portanto, uma arma que tem ataque rápido é o recomendável para esta situação específica.

A conjunção da movimentação com o combate permite conferir uma fluidez e dinâmica muito própria, que favorece a experiência. Existem imensas combinações com o movimento e o ataque que nos divertem, sobretudo quando podemos descobrir as táticas que conseguimos construir com os sistemas de jogabilidade que Foregone oferece.

O departamento do grafismo de Foregone também merece grandes elogios, porque além do estilo artístico estar desenhado em pixel art, as animações são rápidas e fluidas, o que assenta bem num jogo com combate e muita ação como este. Esta versão em Acesso Antecipado tem cerca de meia dúzia de horas de conteúdo, que se podem multiplicar em muitas mais quando tivermos a versão final, pois Foregone apresenta-se com bons argumentos numa fase em que está a equilibrar os seus sistemas de combate. Por isso, tenham isso em atenção se forem adquiri-lo, pois ainda são mais de vinte euros por um jogo que não está totalmente terminado.

Continuem a conversa nos fóruns VideoGamer!