Marco Gomes por - Nov 26, 2016

Luzeiro do Escondidinho – Episódio 75

À vista desarmada se denota o inflacionar das vertentes tática, estratégica, e, até de gestão, na produção de humildes meios sobre o género Role Playing Game. Fazendo disso prova dividiu-se o elenco a elas adstrito por duas entregas cuja primeira hoje se publica dando aos devotos bom partido em oito lustrosas escolhas.

Luzeiro 75

Court of the Dead: Underworld Rising (Arcade Distillery, Estados Unidos da América) 

PC (Windows, OS X, Linux) e PlayStation 4 – Previsão de lançamento não divulgada

Aparentemente não serão os mais felizes os dias que se vivem no estúdio liderado por Jan Roessner. De nenhuma divulgação quanto a Plague Road ao silêncio total sobre o estado de desenvolvimento de Death Tales, só faltava mesmo cumprir-se o provérbio de não há duas sem três com o rombo sofrido na campanha pública de angariação de fundos no Kickstarter, e indefinição por ela aportada, na transladação a videojogo do universo Court of the Dead.

De subtítulo Underworld Rising, colocar-nos-á no papel de apaniguado da Morte aspirando subir na hierarquia do exército do Submundo na contenda com Céu e Inferno, contando assim três fações denominadas Osso, Espírito e Carne com visuais e estilos de jogo únicos. Baseado em combates por turnos em grelha, de nomenclatura diversa consoante localização, apresentará como característica identitária cimeira a possibilidade de recrutar centenas de seguidores para as perigosas demandas através de sistema dinâmico de reputação.

Luzeiro 75

For The King (IronOak Games, Canadá) 

PC (Windows, OS X) – Primeiro trimestre, 2017

O que os últimos anos nos dizem é que a evolução do meio também se faz à custa de mixórdia, ou seja, a cada vez mais generalizada reunião de elementos e características de géneros vários num determinado corpo. No caso da estreia do quarteto constituído por Colby Young (desenho de jogo), David Lam (programação), Gordon Moran (arte) e Sean Hoyle (escrita) tal se verifica no desavergonhado surripiar a diversas ramificações do Role Playing Game.

Comportando campanha adaptada tanto a jogo solitário como cooperativo em multijogador até três intervenientes, acudiremos em For The King ao desesperado pedido de ajuda da rainha de Fahrul perante o abandalhar da ordem pública no reino após misterioso assassinato do esposo. Conseguir estancar o emergente caos e desmascarar os responsáveis pelo regicídio não se afigurará tarefa ligeira perante a geração aleatória do mapa em cada nova secção de jogo, obrigando a adaptações constantes na abordagem feita aos acontecimentos daí decorrentes, para mais, nele exigindo deslocações estrategicamente ponderadas de siamesa equivalência em contendas por turnos com  particularidade de às personagens se oferecer uma só ranhura para definição do tipo de movimento ofensivo.

Luzeiro 75

Pixel Privateers (Quadro Delta, Finlândia) 

PC (Windows) – Data a confirmar, 2017

Não se podendo falar em sequela, porém, o que o estúdio criado por Vitali Kirpu e Alexander Poysky nos apresenta como segunda empreitada serve de invocação ao universo estrutural de Pixel Piracy (2015), trocando a disparatada simulação de pirataria em mundo aberto por um enquadramento de ficção-científica onde um esquadrão se esgadanha, através de ação tática, por arrebanhar a maior e melhor quantidade possível de despojos.

Com uma galáxia inteira para explorar, traduzindo-se em avultados números de planetas e fações neles inscritas, poder-se-á classificar Pixel Privateers como um desses crescentes casos em que a experiência proporcionada é definida pelos caminhos do jogador – ajustados em dificuldade variável – com implicações extremas na forma como em batalha dirigimos o bando de mercenários, mas, igualmente nas possibilidades que lhes sustentam a competência, como treino para melhorar estatísticas e expansão de habilidades ao investigar tecnologia alienígena, ou, para desanuviar das campanhas no terreno, ampliar em divisões e valências, e correspondente exploração, a nave espacial que serve de base de operações.

Luzeiro 75

Ernesto (Daniel Benmergui, Argentina) 

PC (Windows, OS X) – Quarto trimestre, 2016

Apartando-se da Gameloft para uma carreira por conta e risco, uniu-se o criador dos títulos em formato browser Storyteller (2008), I Wish I Were The Moon (2008) e Today I Die (2009) a Jeremias Babini (arte) e Hernan Rozenwasser (composição melódica, desenho de som) na refundação de outra sua feitura, Ernesto (2013). Sendo porventura do lote o mais sui generis registo caracterizando-se como misto de Role Playing Game estratégico e quebra-cabeças, nele teremos de traçar uma linha de percurso segura para o protagonista alcançar as escadas do nível seguinte, tarefa nada meiga quando a vis criaturas, armadilhas e áreas de enigma se junta a impossibilidade de repisar caminho.  

Luzeiro 75

Hellenica (The Dragonloft, Estados Unidos da América) 

PC (Windows, OS X, Linux) – Quarto trimestre, 2016

Exauridos que estão inúmeros contextos temáticos procuram os criadores ambiências noutras paragens, voltando-se aqui e além para a Grécia Antiga, como é o caso – descontando a costela steampunk – de Hellenica da dupla Kurt Loidl e Victor Cepeda IV. Seguindo pisadas de ícones japoneses da estratégia em Role Playing Game como a série Final Fantasy Tactics, teremos por missão ajudar Sócrates e Platão a manter ordem numa Atenas a braços com a revolução industrial, incidindo exatamente na componente narrativa a mais ousada característica da obra ao patentear uma estória intrincada onde possível será “encarnar inúmeras vidas”, tomar decisões fraturantes e usar centenas de linhas de diálogo customizadas.

Luzeiro 75

Super Dungeon Tactics (Underbite Games, Estados Unidos da América) 

PC (Windows, OS X, Linux) – 14 de dezembro, 2016

A três semanas de sair do forno, colocar-nos-á o registo iniciático do estúdio liderado por Corey Hill no cargo de mestre de guilda onde, tendo como pano de fundo o combate às forças de Cônsul Negro, definiremos recompensas de captura, demandas a soldo de aflitos ou missões da campanha central a empreender. Guindar a reputação da casa ampliará probabilidades de recrutar heróis de maior competência – possuindo cada unidade leque único de habilidades -, inseridos num ortodoxo, com exceção de ligeiros elementos aleatórios, sistema de combate em grelha por turnos e tendo como mecanismo essencial de evolução a aprimorada valia dos despojos recolhidos em masmorras.

Luzeiro 75

Tears of Avia (CooCooSqueaky, Inglaterra) 

PC (Windows, OS X) – Previsão de lançamento não divulgada

A divisão dos Role Playing Game táticos de nipónica influência é aqui representada pela rendinha urdida no coletivo encabeçado por Andrew Livy. Com o não almejar do objetivo base na campanha pública de angariação de fundos no Kickstarter, pese mais de mil e duzentos financiadores, levando a equipa a manter regime de trabalho a tempo parcial, tal não esmoreceu, contudo, a ambição de um projeto com sólidos valores de produção tendo como imagem de marca a elevada customização estratégica dando aos jogadores liberdade total para definir unidades a introduzir em combate, mas, igualmente suas habilidades e armamento entre centenas de opções à disposição.

Luzeiro 75

The Great Whale Road (Sunburned Games, Espanha) 

PC (Windows, OS X, Linux) – Previsão de lançamento não divulgada

Para ir matando tempo até à chegada de The Banner Saga 3 deixa o Luzeiro alternativas, uma por entrega, aos apreciadores de Role Playing Game tático ambientado na mitologia nórdica. Empreitada primeva do estúdio fundado pelo casal Birgit e Joachim Sammer, encontra-se The Great Whale Road disponível em acesso antecipado desde julho passado, oferecendo uma experiência guiada pela narrativa onde, para garantir sobrevivência de um clã dinamarquês atravessando anualmente o caminho marítimo que nomeia a obra, bifurcar-se-á a estrutura jogável em duas fases ligadas a estações da natureza, Inverno no planeamento e gestão do calendário vindouro e Verão para levar a cabo a missão consignada ao respetivo período, sem descurar o necessário arrebanhamento alimentício para os dias gélidos.

Luzeiro 75

Como na introdução avançado, segredos se não fazem sobre a entrega seguinte talhada que está contínua incidência sobre os Role Playing Game de planeamento. Até lá, bons jogos.

Comentários

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments