Marco Gomes por - Mar 11, 2017

Luzeiro do Escondidinho – Episódio 90

O estágio seguinte na política de aproximação da Nintendo à produção de humildes meios consubstancia-se em sua nova plataforma, Switch, jogando a companhia de Quioto cartada pragmática no robustecimento e diversificação do catálogo daquela, principalmente na etapa primordial de afirmação no mercado.

Como forma de dar as boas-vindas à consola comercializada desde três de março serão dois episódios dedicados a suas grandes apostas no segmento tendo por base outros tantos critérios de exclusão, obras não inéditas quanto ao plano de lançamento e aparecimento na rubrica, com exceção, pela visibilidade que a tem opípara, de Yooka-Laylee.

Não conseguir mas sempre tentando, fazer de cada dia uma boa companhia.

Luzeiro 90

Celeste (Matt Makes Games, Canadá) 

Nintendo Switch, PC (Windows), PlayStation 4 – Segundo trimestre, 2017

TowerFall Ascension (2014), anabolizada versão de TowerFall (2013), tem confirmada presença no alinhamento futuro da Nintendo Switch, porém, o apoio de seu criador, Matt Thorson, far-se-á igualmente pela via do novo projeto, Celeste, que, a bem dizer, à novidade algo deve enquanto reimaginação da obra de igual nomeação concebida em quatro dias com recurso à ferramenta PICO-8.

Juntando colaborações de Lena Chappelle, MiniBoss e Power Up Audio à dupla do original, contendo igualmente Noel Berry, responsável cimeiro pelo aguardado Skytorn, baseia-se a obra no exercício real de escalada, para além de reportar à era Super Nintendo no género em que se inscreve, plataformas, aqui em desenvolvimento vertical ao longo de mais de duzentas e cinquenta etapas de montanha nada enfadonha em paisagens, albergando no âmago cidades abandonadas, ruínas milenares ou, até mesmo, estâncias turísticas assombradas.

Luzeiro 90

Dandara (Long Hat House, Brasil) 

Nintendo Switch – Terceiro trimestre, 2017

De peito cheio estão os metroidvania para 2017. Um promissor mais a juntar-se à bagagem chega na segunda afoiteza mercantil, seguindo-se a Magenta Arcade (2015), da dupla João Guilherme Brant e Lucas Mattos com contributo de Victor Leão na consultadoria artística e Thommaz Kauffmann na composição melódica e desenho de som.

A editar pela Raw Fury, adapta simbolicamente Dandara o mito da guerreira negra com tal nome no período colonial brasileiro, ressuscitada em enquadramento de ficção-científica com a missão de encarreirar um mundo em desnorte onde no limiar da extinção se vêm os oprimidos. A restauração do equilíbrio nesse plano existencial não passará sem o esquema de controlo inédito fundindo ação e exploração baseadas na habilidade da protagonista iludir a gravidade projetando-se para superfícies sólidas como paredes ou tetos, daí podendo atacar esbirros do mal.

Luzeiro 90

Runner3 (Choice Provisions, Estados Unidos da América) 

Nintendo Switch – Outono, 2017

Não pela ligação umbilical que sempre teve com as consolas Nintendo, mas por se dar enquanto exclusivo Switch de renomada série, até aqui multiplataformas, assume Runner 3 lugar de destaque nas referências de humildes meios que 2017 trará à consola, não querendo o Choice Provisions, antes conhecido por Gaijin Games, deixar de comemorar a rigor uma década de existência. 

Assim, apruma-se o estúdio fundado por Alex Neuse para a terceira iteração de um dos expoentes endless running tendo por base as linhas orientadoras do capítulo anterior, “superar o predecessor de todas as formas possíveis”, algo a ser conseguido com estreita colaboração da comunidade como atestou recentemente o concurso de sugestões para a criação de um dos níveis, Foodland. Entre as certezas fica a confirmação do regresso de Charles Martinet como narrador e a redefinição dos Retro Challenges para novo patamar de imprevisibilidade.

Luzeiro 90

SteamWorld Dig 2 (Image & Form Games, Suécia) 

Nintendo Switch – Verão, 2017

Descontando Anthill (2011), tem o percurso do estúdio fundado por Brjánn Sigurgeirsson estado intimamente ligado à série SteamWorld e esta às consolas Nintendo com exclusividade de SteamWorld Tower Defense (2010) para DS e debute de SteamWorld Dig (2013) e SteamWorld Heist (2015) na 3DS.

Dito isto, pouca surpresa causará que tenha a Nintendo Switch sorte de em primeira mão desembrulhar a mais recente incursão por aquele bem-humorado universo cruzando ficção-científica com faroeste americano de prospeção mineira numa experiência protagonizada por inédita alminha, entregando-se a estrutura metroidvania do original de forma menos linear e prometida, desconhecendo-se os meandros de sua implementação, estará o recurso à função HD Rumble dos Joy-Con.

Luzeiro 90

Has-Been Heroes (Frozenbyte, Finlândia) V/

Nintendo Switch, PC (Windows), PlayStation 4, Xbox One – 28 de março, 2017

Por aqui se mencionou Has-Been Heroes aquando da aparição de Nine Parchments no recente episódio oitenta e sete, regressando a pleno direito e com ele os pais da série Trine. À vista tendo lançamento, recauchuta a obra um bando de heróis caídos no esquecimento quando o rei lhes incumbe a mais épica das missões, levar as princesas gémeas à escola. O tom humorístico do registo não escapa à própria seleção de personagens incluindo um antropólogo devoto de luta-livre mexicana ou um sheik eivado de paranoia, condimentos para apimentar a estrutura roguelike mesclando estratégia com elementos de ação.

Luzeiro 90

Pocket Rumble (Cardboard Robo Games, Estados Unidos da América) V/

Nintendo Switch, PC (Windows) – março, 2017

Tal é a diversidade no mercado que natural cada vez mais se torna inserção em suas franjas, como no caso da primeira feitoria comercial da dupla Christian Stewart (programação, desenho de jogo) e April Sewell (arte, desenho de jogo), emulando títulos de luta um contra um do velhinho Neo Geo Pocket Color, que, por sua vez mais não eram do que versões remediadas, devido às limitações técnicas da plataforma, de clássicos arcada da companhia. Duas curiosidades se destacam de Pocket Rumble, disponibilização gratuita via ROM para a referida consola e aparição como inimigos finais de personagens extraídas a títulos como Bleed (2012), Dust: An Elysian Tail (2012) ou Nidhogg (2014).

Luzeiro 90

Riverside (Zockrates Laboratories, Alemanha) V/

Nintendo Switch, Oculus Rift – Data a confirmar, 2017

Conhecia-se a recente consola Nintendo simplesmente pelo nome de código NX e para ela já Patrick Ruckdeschel anunciava seu projeto Riverside, mais, com ele deram vários órgãos de comunicação garantias sobre o que de especulação ainda não passa, suportar a plataforma tecnologia de realidade virtual. Porém, o que não faltam em torno da aventura de exploração na primeira pessoa são incógnitas, desconhecendo-se de momento como operarão suas mecânicas centrais baseadas na aplicação de texturas e criação de desenhos para alterar o mundo de jogo.

l90

Space Dave! (MiniVisions, Estados Unidos da América) V/

Nintendo Switch, PC (Windows), PlayStation 4, Wii U, 3DS – Data a confirmar, 2017

Nem só de Runner 3 viverá o apoio do Choice Provisions à Nintendo Switch, nela tendo planeado lançamento do sucessor espiritual de Woah Dave! (2014) a cargo de seu estúdio afiliado MiniVisions. A nova investida de Jason Cirillo leva a franquia até ao espaço, daí Space Dave! como intitulação, afirmando-se em outra descarga de saudosismo, desta feita, erguendo uma linhagem moribunda, a dos atiradores arcada estáticos do qual é bandeira a série Space Invaders. 

Luzeiro 90

sU and the Quest for meaning (Guillaume Bouckaert, Bélgica) V/

Nintendo Switch, PC (Windows, OS  X) – Data a confirmar, 2017

Pese uma janela de lançamento – nos computadores pessoais – apontando inicialmente para outubro do ano que passou, não menos críptico que sua intitulação revela-se o conteúdo informativo sobre o exercício de arranque em solitário do criador belga Guillaume Bouckaert. Daí advindo, provavelmente, algum do encantamento que reveste sU and the Quest for meaning, dele sabendo tratar-se de plataformas puxadinhas onde a banda sonora, ou melhor, sua capacidade de randomizar ininterruptamente os cenários, confere centelha de quebra-cabeças.

Luzeiro 90

Wargroove (ChuckleFish, Inglaterra) V/

Nintendo Switch, PC (Windows), Xbox One – Data a confirmar, 2017

A companhia de Finn Brice, criadora do êxito Starbound (2016), revela-se como uma das parceiras externas mais comprometidas com a proposta Nintendo Switch tendo previsão de nela editar no presente ano, dentro dos títulos anunciados, o aludido Pocket Rumble, um dos fenómenos dos últimos meses, Stardew Valley, e sua mais recente empreitada, Wargroove. Entre carta de amor e desavergonhada cópia, não deixa de caber ironia no facto de se encaminhar para o hardware da mãe da referência, Advance Wars, como que dizendo, se nela não pegam, por ínvios caminhos nós o fazemos, dando vida à estratégia por turnos, até quatro jogadores, onde teremos de derrotar o exército adversário no papel de um dos doze comandantes à escolha dentro de quatro beligerantes fações.  

Luzeiro 90

Com metade cumprida, apresentar-se-á a próxima daqui a oito dias em mais um estimulante lote de propostas inseridas na primeira leva de produção de humildes meios para Nintendo Switch. Até lá, bons jogos.

Comentários

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments