Marco Gomes por - Mar 25, 2017

Luzeiro do Escondidinho – Episódio 92

Com janeiro e fevereiro mascarados de setembro, outubro, tivemos um início de ano fortíssimo em videojogos de amplo orçamento e projeção, revelando que a dinâmica estratégica das grandes editoras não vive dos lugares comuns que colocavam o período como um dos mais mornos do calendário.

Tal não condicionou o fluxo de lançamentos de obras de menor escala, todavia, poderá ter arredado da janela algumas das mais promissoras, ao contrário do verificado no bimestre homólogo de 2016, pontuado por reverências como, segurem-se, Darkest Dungeon, Firewatch, Oxenfree, Pony Island, Stardew Valley, Superhot ou The Witness.

Para a amostra ficaram apenas dois destaques de substancial visibilidade e galhardia, Night in the Woods, lançado a vinte e um de fevereiro, e Hollow Knight, três dias após, este, num caso que a conjuntura reiteradamente promete repetir de esvaziamento mediático da fase de valoração face ao verificado na de desenvolvimento. Ainda assim, pese frouxo tiro de partida, não esmorece a convicção de ser 2017 ano recheado para a produção de humildes meios, como o afã dos meses próximos se encarregará de provar.

Luzeiro 92

Bleed 2 (Bootdisk Revolution, Estados Unidos da América) 

PC (Windows, OS X, Linux) – 8 de fevereiro, 2017

Ian Campbell, coadjuvado por Jukio Kallio (composição musical) e Joonas Turner (desenho de som), saberá por certo não ser a vida justa, em dobro tendo de labutar para ver méritos reconhecidos. Até por ser lançado em período congestionado de distribuição mediática, não conseguiu, para já, Bleed 2 capitalizar e expandir sobre a, já de si não muito significativa, base de jogadores do original editado em 2012.

Colidindo tal facto com a valia da obra, que sinteticamente poder-se-á garantir ter melhorado o elogiado antecessor, afirma-se como uma das grandes experiências de ação bidimensional do início do ano, principalmente para quem se pela por títulos arcada na veia run ‘n gun, até porque, sua maior virtude é realmente a que teria de ser, esquema de controlo acessível e preciso, mesmo equilibrando generoso lote de habilidades e peças de armamento.

Luzeiro 92

Candleman (Spotlightor Interactive, China) 

Xbox One – 1 de fevereiro, 2017

Depois de Chrono Express (2013) para mercado móvel, aventura-se o estúdio fundado em 2009 por Gao Ming e Ma Xiaoyu nas consolas com obra de medrada ambição inserida em segmento nem sempre dignificado, plataformas tridimensionais.

Protagonizado por invulgar criatura, uma vela personificada fazendo do castiçal pernas, e tendo premissa narrativa que não esconde a fonte oriental, acordando o herói num navio abandonado, inspira-se no desejo de um dia ser como o majestoso farol que ao longe vê para iluminado manter o pavio mesmo nas mais obscuras adversidades, destacando-se Candleman pela atenção ao pormenor na generalidade dos departamentos, sólido desenho de níveis, secundado pela introdução constante de novas mecânicas, cuidado labor gráfico e, mesmo que operando nos jogadores de forma inconsciente, dimensão empática que todo o conjunto perpassa.

Luzeiro 92

Detention (Red Candle Games, Taiwan) 

PC (Windows, OS X, Linux) – 12 de janeiro, 2017

Até pela profusão de propostas anódinas no género, mas igualmente pela maturidade evidenciada na estreia do quarteto constituído por Coffee Yao, Finger Chen, Doy Chiang  e Vincent Yang, assume-se Detention como um dos maiores destaques no segmento neste dealbar de 2017, principalmente para entusiastas da aventura de terror, aqui descartada de ação visceral imediata em detrimento da mecânica de apontar e clicar.

Chegando ao ocidente com o contributo da editora Coconut Island, destaca-se a obra, pese um ato final de menor impacto, pelo cuidado colocado em narrativa de múltiplas camadas interpretativas, enlaçando acontecimentos reais ocorridos em meados do século passado com testemunhos da vivência e folclore locais, e a atmosfera proporcionada pela desconcertante fusão das componentes técnicas.

Luzeiro 92

Forma.8 (MixedBag, Itália) 

PC (Windows, OS X, Linux), PlayStation 4, PlayStation Vita, Xbox One, Wii U – 23 de fevereiro, 2017

Passado recentemente pelo Luzeiro, episódio oitenta e oito, à pala de Gemini_X, poder-se-á dizer que ajudou o estúdio transalpino MixedBag a cortar a fita a um ano que se espera memorável para devotos do subgénero metroidvania, fazendo-se menção, para além de Hollow Knight referenciado na abertura, de outra proposta de sólidos méritos lançada no período, Alwa’s Awakening.

Quanto ao título que aqui nos traz, Forma.8, segue respeitosamente os mandamentos da estirpe trocando, porém, na característica que da concorrência mais o aparta, conteúdo de plataformas e ação por amplo sentido de exploração, sobressaindo na simples e eficaz estrutura de jogo e ambiência proporcionada em larga medida pelos visuais estilizados.

Luzeiro 92

Linelight (My Dog Zorro, Estados Unidos da América) 

PC (Windows, OS X), PlayStation 4 – 31 de janeiro, 2017

Com os dois quebra-cabeças convocados ao episódio a distanciarem-se dos pares pelo primor técnico e insistência em argumentos incomuns ao género, eleva-se a proposta de Brett Taylor pela forma como provoca os jogadores partindo de sustentação minimalista, nela procurando esticar o leque de conceitos e mecânicas não descurando a profundidade de cada secção.

Levado à prática, poder-se-á atestar que em Linelight nenhum enigma se encaixa em padrões, quando muito em reminiscências, sem contudo, bem pelo contrário, alienar quem nele se atrever. A culpa tendo o generoso grau de intuitividade e ajustada, mesmo que palpável, escalada de dificuldade, num vínculo não raras vezes emocional com a obra.

Luzeiro 92

She Remembered Caterpillars (Jumpsuit Entertainment, Alemanha) 

PC (Windows, OS X) – 17 de janeiro, 2017

Num enquadramento onde o diluviado número de lançamentos aumenta sua probabilidade de manifestação, mas, paradoxalmente, a rarefação, despiciente não é o mérito alcançado pela dupla David Priemer e Daniel Goffin ao conseguir incutir em She Remembered Caterpillars o cunho de empreitada distinta.

Editado pela Ysbryd Games, nega o quebra-cabeças baseado em cores a crescente onda de conteúdo gerado aleatoriamente através da artesanalidade aplicada a todos os planos de execução, dos elogiados visuais, que, somados à componente sonora adquirem aura contemplativa, ao esboço de níveis, num pacote complementado por elemento nem sem sempre tido em consideração por quem do género faz sustendo, narrativa e sua pertinência para os jogadores.  

Luzeiro 92

Splasher (Splashteam, França) 

PC (Windows, OS X, Linux) – 7 de fevereiro, 2017

Augurando ser proveitoso o ano de 2017 para o setor das plataformas, apresentou o trio de Romain Claude, Richard Vatinel e David Boitier o primeiro destaque do período através de conjugação pouco explorada, mas que, atendendo aos títulos em desenvolvimento que o esboçam, promete angariar adeptos no futuro, plataformas de precisão e ação.

Editado pela The Sidekicks, evidenciou-se Splasher pelo ajustado sistema de controlo, elemento mais valorizado na categoria, mas igualmente no departamento visual, variedade no desenho de níveis, cuidado modo speedrun e diversão proporcionada pelo conjunto no geral.

Luzeiro 92

Stories Untold (No Code, Escócia) 

PC (Windows) – 27 de janeiro, 2017

Contrariando o espalhafato associado a muitos dos títulos editados pela Devolver Digital, ao mundo anunciou-se o novo labor do quarteto constituído por Jon McKellan, Omar Khan, Geoff Angus e Graeme McKellan, aos quais uma mãozinha deram Lee McKellan e Jack Perry, na segunda semana de fevereiro, com lançamento à vista na derradeira do mesmo mês, sem grande tempo para digerir entre os dois acontecimentos.

Analisado por Pedro Martins com um sólido oito, guarnece Stories Untold a aventura textual de terror criada em 2016 para o Ludum Dare trinta e seis, The House Abandon, com três outros atos, num exercício de metaficção que regurgita do género o esplendor dos anos oitenta através da qualidade de escrita, por turvos caminhos iria se assim não fora, sua inventiva estruturação e, pese o cunha minimalista da interação, elevado patamar atmosférico.

Luzeiro 92

Descarrilado em três episódios, pôr-se-á na semana próxima novamente o comboio da ação sobre carris para os passageiros do vagão destinado aos hack ‘n slash poderem desembarcar. Até lá, bons jogos.

Comentários

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments