Filipe Urriça por - Oct 11, 2019

Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020 – Antevisão

O próximo grande evento desportivo está quase a chegar e a Nintendo prepara-se, novamente, para o celebrar na família de consolas Switch. Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 é a celebração do desporto, uma atividade física que tem tanto de lúdica como de competitiva. Mario & Sonic é um título que prova que os valores do evento desportivo continuam presentes no videojogo oficial.

Com uma sessão curta com Mario & Sonic Nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a denominação portuguesa do jogo da SEGA, vê-se claramente o que conitnua a ter mais importância. Os minijogos são o elemento nuclear do jogo, daí o foco neste tipo de experiência que estes pequenos desafios oferecem.

E também é com pouco tempo de jogo que nos apercebemos que as duas empresas nipónicas, a Nintendo e a SEGA, as casas de Mario e Sonic, respetivamente, fizeram uma boa aposta na seleção de jogos. Obviamente que haverá sempre alguém a lamentar a ausência de uma modalidade desportiva que marcou presença em títulos anteriores da série. Esta edição, contudo, compensa com minijogos que não se esquecem que estão num videojogo, sem colocar o desafio e a habilidade à frente da diversão.

Joguei corrida de 100m, skate, ginástica, salto em comprimento, entre muitos outros. Porém, para surpreender, a produtora colocou alguns eventos especiais. O grafismo não é tudo, como é óbvio, mas incluir desafios que colocam Mario e Sonic em eventos num estilo pixelizado, tal como apareceram na NES e na Mega Drive, também são momentos que nos deixam maravilhados.

Os minijogos têm um problema intrínseco ao que pretendem oferecer. Estes desafios mais pequenos podem ser bons, mas demasiado curtos; por outro lado, também podem ter uma longevidade suficiente, mas tornarem-se aborrecidos ao não oferecer algo cativante ou estimulante. De todos os que experimentei, parece, pelo menos até agora, haver um bom equilíbrio, sem exagerar ou ter alguma carência em qualquer uma das partes que referi.

De todos os minijogos, o meu preferido foi andar de skate. Foi um daqueles jogos que prova haver uma lacuna no mercado de videojogos, depois de Tony Hawk Pro Skater ter desaparecido após uma descida a pique na qualidade das entregas. É um jogo que dá a impressão de haver muito para explorar e nem me importaria de jogar um título deste desporto radical com a marca da Nintendo de uma ponta à outra.

O salto em comprimento não é um pináculo da criatividade, é um daqueles jogos que me faz recordar uma altura em tinha de martelar alternadamente em apenas dois botões durante uma distância bastante longa. Se não tinha o ritmo mínimo, Mario nunca ganhava velocidade suficiente até à tábua de chamada para fazer o salto em comprimento.

A campanha não parece ter uma narrativa fenomenal que vá ombrear com grandes escritores, mas tem uma reviravolta curiosa para que duas realidades distintas se juntem num só título. Há um incentivo bem conseguido para explorar os cenários: foram espalhadas pequenas curiosidades sobre os Jogos Olímpicos e as próprias personagens do jogo.

Ainda há muitos minijogos para descobrir e espero, sinceramente, que me continue a surpreender com minijogos como a corrida de barco contra Bowser ou o sprint de Sonic contra o Dr. Robotnik. Aparentemente, ainda tenho oito para descobrir. Pode não vir a cortar a meta para uma grande vitória do jogo, mas este arranque coloca Mario e Sonic com um bom avanço e um ritmo que nos poderá levar a gostar das ofertas do jogo oficial dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020 será publicado na Nintendo Switch dia 8 de novembro.

Comentários

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments