Terminada mais uma semana de trabalho em mês de férias para muitos portugueses, a equipa do VideoGamer Portugal volta a reunir-se neste espaço para partilhar com os leitores as obras às quais tem dedicado o seu tempo ao longo dos últimos dias. Antes disso, fiquem com a habitual resenha do que de mais importante se escreveu por estes lados durante esta semana.

Logo na segunda-feira, Filipe Urriça deu o pontapé de saída com a publicação de um artigo sobre Sushi Striker: Way of the Sushido, mais concretamente sobre as valências positivas da versão 3DS quando comparadas com a versão Switch. Na quarta-feira houve lugar a duas análises: Pedro Marques dos Santos entregou o veredito sobre Moonlighter - obra que trouxe também para esta rubrica -, enquanto Pedro Martins deu a sua opinião final sobre Train Sim World, o simulador ferroviário.

Quinta-feira trouxe-nos a análise de Filipe Urriça a Candle: The Power of the Flame, obra que encontrou recentemente o seu caminho até à consola híbrida da Nintendo, e Pedro Marques dos Santos a anual e obrigatória antevisão a PES 2019 com base na demonstração jogável que já se encontra disponível. Já ontem, o mesmo autor encerrou a semana com a sua análise a Flipping Death, a nova aventura cómica dos produtores de Stick it to the Man.

Sem mais demoras, fiquem com os jogos que a equipa decidiu destacar esta semana.

Pedro Martins, Diretor de Conteúdos - Overcooked 2, PS4

Depois do contacto inicial com o Overcooked 2, posso desde já mencionar que a minha vontade é voltar para continuar a preparar estas receitas. A forma como as receitas são apresentadas alicerçam de forma bastante eficaz a adrenalina e a tensão patrocinadas pelos “clientes” existentes.

A obra da Ghost Town Games é daqueles títulos com uma jogabilidade arcada, sim, mas que se apresenta com várias camadas de profundidade que permitem aos jogadores terem matéria-prima para melhorarem a sua destreza e a sua habilidade, especialmente se tivermos em consideração que a temporização dos pratos a cozinhar pisca claramente o olho à estratégia.

E é tão bom que haja a inclusão de multijogador local e online; e é tão bom que haja assim o lançamento de tudo o que aprendemos para cozinhas partilhadas com outros. Ainda me falta algum tempo para que a opinião esteja formada, mas as primeiras impressões são positivas. Overcooked 2 parece ser, para já, um daqueles jogos indicados para animar as quentes noites de verão.

Pedro Marques dos Santos, Redator - Moonlighter, PS4

Apesar de já ter publicado a sua análise e do contador de horas já ter ultrapassado há muito as duas dezenas, ainda não tive oportunidade de concluir a campanha de Moonlighter. Dito isto, encaixando mais umas sessões de jogo aqui e ali, já conclui mais uma das masmorras do título e estou um pouco mais próximo de ver os créditos rolar pelo ecrã.

Como escrevi na minha análise, Moonlighter é uma obra incrivelmente viciante que se torna muitas vezes difícil parar de a jogar. Um daqueles jogos em que estamos constantemente a dizer "só mais uma vez", só mais uma visita à masmorra, só mais um dia de vendas na nossa loja. A verdade é que raramente é apenas só mais uma vez. Afinal de contas, só mais uma sabe a pouco. Contudo, à medida que estas visitas se vão acumulando, também as horas vão passando a um ritmo alarmantemente elevado.

Filipe Urriça, Redator - Code of Princess EX, Switch

Code of Princess EX, agora publicado pela Nicalis, chegou à Nintendo Switch. Os jogos Hack 'n' Slash fazem falta a qualquer plataforma, sobretudo, a uma que só vai no seu segundo ano de existência. Há o factor nostalgia a ter em conta, principalmente para uma marca como a Nintendo que teve tantos Castlevania nas suas consolas.

 

Daquilo que eu já joguei de Code of Princess EX, é exatamente igual ao que já havia jogado na 3DS. São muitos combos a efetuar contra muitas vagas de inimigos. Combinações de ataques fortes, fracos ou especiais fazem deste título um jogo que temos obrigatoriamente de dominar para retirar o mais possível do jogo. 

Contudo, visto ser uma nova versão, convém também ver aquilo que foi incluído, para além dos habituais melhoramentos técnicos para apelar a quem já jogou o título. Pelo menos, o que não falta é conteúdo quanto baste para divertir quem adora este género de jogos. E é precisamente isto que não pode faltar: mais motivos para eliminar quantias enormes de inimigos.

Continuem a conversa nos fóruns VideoGamer!