Depois de várias semanas ausente, está de regresso a rubrica em que a equipa VideoGamer Portugal escreve sobre algumas peças de entretenimento que lhe vai ocupando o tempo. Este domingo há uma série na HBO Portugal, outra série na Netflix, e ainda um filme em DVD.

O primeiro a escrever os seus parágrafos foi Pedro Martins, que aproveitou a última semana para acompanhar a estreia de Breeders. Ainda que a produção seja um original FX, por cá está a ser transmitida em exclusivo na HBO Portugal - os primeiros dois episódios já estão disponíveis.

Logo a seguir podem ler aquilo que o Marco Gomes pensa de 8½, um dos grandes clássicos assinados por Fellini. Apesar de ter estreado originalmente em 1964, a obra continua a ser vista e debatida como se tivesse chegado aos cinemas há algumas semanas. Aproveitando a sua extensa coleção de DVDs, o Marco dá a conhecer a sua opinião sobre o trabalho do mestre.

Finalmente, dando uso à sua conta Netflix, Filipe Urriça resolveu escrever este domingo sobre Locke & Key. É muito provável que já tenham ouvido falar sobre o exclusivo da gigante de streaming, sendo uma obra frequentemente debatida nas redes sociais desde que estreou no início de fevereiro. 

Pedro Martins, Breeders (HBO Portugal)

No momento em que este artigo é publicado, estão disponíveis no catálogo da HBO Portugal os dois primeiros episódios de Breeders, a nova série que retrata as dificuldades de um casal em criar os seus dois filhos. Depois de os ter visto, foram vários os momentos que vão escalando até saírem do controlo. 

Os pais são Paul (Martin Freeman) e Ally (Daisy Haggard) e a comédia proporciona mal-entendidos sublinhados pelo desespero de se perder a independência e, sobretudo, muitas horas de sono. Durante as longas noites, é asfixiante o rebuliço pelo qual os dois pais vão passando, especialmente quando um dos filhos desenvolve uma fixação com fogos e o consequente medo de morrer queimado. 

É um teste à resiliência de cada um, tanto na forma como lidam com as crianças, como na maneira como vão nutrindo a relação. Importa acrescentar que Breeders toca também na questão dos envelhecimento dos pais do casal e na forma como o pai de Ally entra em cena no segundo episódio, depois de ter chegado à conclusão que não tem onde viver. Se será ou não uma mudança temporária, é algo a que os próximos episódios devem responder.

Claro que ainda é cedo para determinar se a série valerá o investimento nos dez episódios. É uma estreia também marcada pelas explosões de raiva de Paul, algo que será certamente explorado no decorrer da temporada. Por enquanto, quero ver até onde os argumentistas vão levar este frenesim e se os envolvidos terão lições a aprender. 

Marco Gomes, 8½ (DVD)

A partir de um de Abril próximo a chegar à décima terceira edição, e com cada vez maior abrangência geográfica, recebendo o evento este ano as cidades de Lisboa, Porto, Almada, Cascais, Setúbal, Alverca do Ribatejo, Penafiel, Coimbra, Viseu, Beja, Tomar, Caldas da Rainha e Loulé, pontuou-o a organização da Festa do Cinema Italiano, associação cultural Il Sorpasso, em parceria com a FNAC também na distribuição em registo doméstico.

A caixa referente à décima primeira Festa do Cinema Italiano contém três obras recentes à data da iniciativa, Maio de 2018, Se Deus Quiser (2015), Amigos Amigos, Telemóveis à Parte (2016) e Quo Vado ou Já Foste (2016), tendo por denominador comum o sucesso junto do público no mercado de origem, e a versão restaurada de uma das mais marcantes e de insubstituível visualização de Federico Fellini, 8 ½ (1963), primeira que aqui se aborda.

Descodificando o título, na relação tensa entre memória e imaginação que perpassa o registo tendo como símbolo agregador Guido Anselmi, alter ego do realizador interpretado por Marcello Mastroianni, remete 8 ½ para a contagem na filmografia daquele à época com duas curta-metragem e seis longa-metragem em nome individual e outra de créditos repartidos com Alberto Lattuada, Luzes de Variedades (1950), Luci del Varietá, fracionada no íntimo pelo sentido possessivo que colocava no trabalho.

Não menos estimulante é o exercício de compreensão do contexto em que surge. Tendo Fellini um percurso internacionalmente solidificado, com pelo menos um êxito de grande escala, A Estrada (1954), La Strada, a verdade é que a obra de 1960, La Dolce Vita, haveria de o projetar para um imparável patamar de popularidade e mediatismo, criando grandes expetativas na que se lhe seguiria. A resposta foi o mais sincero, e provavelmente catártico, filme do autor, acossado por uma profunda crise pessoal e pelas pressões externas, encontrou vontade e engenho para filmar a deriva de quem os procura.

Filipe Urriça, Locke & Key (Netflix)

Como houve um interregno nesta rubrica, resolvi ver uma série inteira, visto que houve mais tempo para a visionar. Vi uma série de dez episódios, para algumas pessoas pode ser pouco, mas deu para retomar o gosto que existe em ver uma série pontualmente.

Li ou ouvi em qualquer lado que Locke & Key é muito bom, uma nova série da Netflix que estreou este ano. E quem a recomendou também mencionou que esta série, baseada na banda desenhada escrita por Joe Hill, poderá muito bem a preencher a lacuna que será deixada por Stranger Things.

Vi a série na sua íntegra, ao longo de algumas semanas, e esta não chega sequer perto da qualidade da escrita de Stranger Things. A premissa é muito peculiar e interessante, mas cai por terra quando o argumento leva as personagens a cometer erros estúpidos quando estão a tentar enfrentar a entidade maléfica deste drama juvenil.

O mais curioso é que a Netflix revela uma enorme confiança no sucesso de Locke & Key, que encerra o seu último episódio repleto de indícios para haver continuidade numa eventual segunda temporada. O mal desta primeira temporada, é que há muitas pontas soltas quanto aos mistérios de índole fantasiosa, nomeadamente quanto ao que se encontra por detrás da porta com a letra ómega.

Por isso, fica a dúvida se estarei ou não motivado em continuar a desvendar o mistério da casa das chaves, mas como quem viu a série comigo adorou, acho que verei certamente a segunda temporada na estreia.

Continuem a conversa nos fóruns VideoGamer!