A Netflix não vai começar um serviço de streaming de videojogos porque fornece um tipo de entretenimento muito diferente, tal como foi recentemente afirmado por Reed Hastings, CEO da empresa (WccfTech).

Na DealBook 2019, Hastings conversou com Andrew Ross Sorkin do The New York Times sobre a direção que Netflix vai tomar no futuro e como os públicos da televisão mudaram.

No ano passado, a Netflix explicou que um dos seus principais competidores por tempo no ecrã era Fortnite, em vez de citar outros serviços de streaming como o Prime Video da Amazon ou a HBO.

Uma das perguntas formuladas pelos membros do público mencionou os serviços da Apple e da Google para streaming de videojogos e questionou diretamente se a Netflix tinha intenções de se juntar a essas gigantes da tecnologia.

Sem perder tempo com rodeios, Hastings respondeu que “Não. Estamos muito focados em criar séries e filmes incríveis”. O CEO continuou e explicou que as pessoas gastam o seu tempo livre de muitas maneiras diferentes; algumas jogam Fortnite, algumas vêem Netflix, outras vão sair.

“Fundamentalmente é sobre competir por essas horas de visualizações. Mas não competimos melhor com Fortnite, por exemplo, ao fazermos algo como [um serviço de streaming para jogos] porque não somos muito bons nisso. Competimos ao fazer os programas de televisão mais incríveis que alguma vez já viram, e então largas Fortnite e vens ver os nossos programas,” concluiu Hastings.

O CEO comentou ainda que esta competição é saudável e encoraja todas as formas de entretenimento a produzir produtos com mais qualidade. Como certamente saberão, nos últimos tempos arrancou o Apple Arcade, que permite aceder a centenas de obras mediante o pagamento de uma mensalidade, e a Google está prestes a estrear o Stadia e assim entrar na indústria de streaming de jogos. Posteriormente, a Microsoft também vai tentar a sua sorte com o seu Project xCloud.

Continuem a conversa nos fóruns VideoGamer!