Com o evento de apresentação de Destiny 2 terminado e o primeiro vídeo de jogabilidade disponível, é tempo agora para juntar tudo aquilo que foi revelado e detalhado relativamente à muito aguardada sequela do Atirador na Primeira Pessoa da Bungie.

Uma das principais novidades prende-se com as alterações ao modo PvP de Destiny, ou seja, ao Crucible. Para além de um novo modo de jogo que colocará mais ênfase na mudança entre momentos de ataque e de defesa - Countdown -, o principal destaque prende-se com a redução de todos os modos de jogo presentes na sequela para batalhas de quatro contra quatro jogadores, uma decisão que a Bungie espera resultar numa experiência que incentive os jogadores a melhorar e a dominar estes confrontos. Não é sabido se todos os modos de jogo do jogo original farão o salto para Destiny 2.

Fora da componente PvP, Destiny 2 voltará a dividir-se entre missões da campanha, Strikes, Raid - importa mencionar que em nenhum momento da apresentação foi utilizado o plural desta palavra - e missões de exploração. Já se sabe que a sequela terá um maior foco na componente narrativa, mas são as missões de exploração - anteriormente denominadas Patrol - que sofreram mais alterações. 

Durante a exploração poderão receber missões de NPCs, denominadas Adventures, que vos levarão até à descoberta de tesouros ou de locais conhecidos como Lost Sectors. Nestes, os jogadores encontrarão uma caixa de tesouro e um Boss que possui a chave para a abrir. Os eventos públicos do jogo original estarão novamente presentes, mas serão mais frequentes e poderão ser concluídos em dificuldade Heróica para um maior desafio.

Outra novidade de Destiny 2 relativamente ao antecessor prende-se com a possibilidade de iniciarem qualquer missão ou atividade sem terem de regressar à órbita para aceder ao mapa mundo. E por falar em mapa, a sequela introduzirá quatro novos mundos: Titan, Io, Nessus e a European Dead Zone da Terra.

Igualmente detalhadas foram as novas classes de armas e habilidades especiais. As classes Kinetic, Energy e Power substituem as classes Primary, Secondary e Heavy, sendo que as Fusion Riffles, Sniper Riffles e Grenade Launchers estarão incluídas na classe Power. No que diz respeito às habilidades especiais, Warlock fará uso de uma espada em Dawnblade, Hunter aplicará o Arcstrider Super e a classe Titan utilizará um escudo tal e qual o Capitão América numa habilidade denominada Sentinel.

Respondendo às críticas sobre a ausência de matchmaking nas Raids, a Bungie decidiu introduzir formalmente clãs na experiência de Destiny e uma iniciativa conhecida como Guided Games. Desta forma, os jogadores, mesmo que prefiram jogar quase toda a experiência a solo, poderão juntar-se a clãs para garantirem que terão sempre alguém com quem partilhar a experiência sem ficarem entregues à aleatoriedade do matchmaking.

Por último, resta mencionar que a versão PC de Destiny 2 apenas estará disponível através do serviço Battle.net, ou seja, não poderão adquirir a obra através do Steam. Sabe-se também que esta versão suportará uma resolução 4K, chat de texto, suporte e personalização de controlos com teclado e rato e framerate desbloqueada.

Destiny 2 chega ao PC, PlayStation 4 e Xbox One dia 8 de setembro. A versão PlayStation 4 terá conteúdo exclusivo que permanecerá dessa forma até o outono de 2018. Uma beta está planeada para arrancar no verão em plataformas por confirmar. Podem conferir as novas imagens em baixo.