Phil Spencer, responsável máximo pela divisão Xbox na Microsoft, comentou a recente aquisição da Zenimax por 7.5 mil milhões de dólares, afirmando que não acredita que a empresa precise de publicar os próximos títulos da Bethesda, como The Elder Scrolls VI, em várias plataformas para recuperar o investimento.

Numa entrevista concedida ao Kotaku, foi perguntado a Spencer se ele acreditava que a Microsoft conseguiria recuperar o investimento sem publicar The Elder Scrolls IV na PlayStation.

“Sim,” disse, “não quero ser insolente sobre isso. Este acordo não foi feito para retirar jogos a outra base de jogadores dessa forma. Em nenhuma parte dos documentos que organizámos está: ‘como é que evitamos que outros jogadores experimentem estes jogos?’ Queremos que mais pessoas sejam capazes de jogar videojogos, não que menos pessoas sejam capazes de jogar videojogos,” disse como resposta.

“Mas também digo que no modelo,” continuou, “quando penso sobre onde é que as pessoas vão jogar e o número de dispositivos que temos, e temos xCloud e PC e Game Pass e a nossa base de consolas, não preciso de publicar esses jogos em qualquer outra plataforma além das plataformas que suportamos para fazer o acordo resultar para nós. Seja lá o que isso for”.

Ainda que estas declarações não excluam completamente a possibilidade de futuras obras desenvolvidas pela Bethesda serem publicadas noutras plataformas, parecem indicar que, como empresa, a Xbox não tem qualquer necessidade financeira para o fazer.

Importa não esquecer que a casa de Redmond já confirmou que vai honrar os contratos existentes com Deathloop e Ghostwire: Tokyo, obras que como sabemos serão publicadas como exclusivos temporários na PlayStation 5 quando chegarem ao mercado.  

Sobre The Elder Scrolls VI em concreto, independentemente de onde for publicado, a Bethesda confirmou em maio que as plataformas que o receberão ainda estão “a anos” de serem anunciadas. O lançamento, torna-se então evidente, ainda vai demorar muito.

Continuem a conversa nos fóruns VideoGamer!