The Sinking City tem estado envolvido numa batalha judicial que se arrasta há muito. O jogo chegou mesmo a ser removido das lojas digitais, mas gradualmente voltou a estar disponível para compra.

Ontem, dia 26 de fevereiro, a obra regressou ao Steam, como podem ver neste endereço. Contudo, a Frogwares, produtora responsável pelo desenvolvimento da aventura, recorreu às redes sociais para afirmar que não recomenda que comprem o seu próprio jogo.

Como podem ler já de seguida e na mensagem incluída no final desta notícia, o estúdio ucraniano afirma que não criou a versão que está agora disponível para compra e que dará mais notícias em breve, claramente indiciando que esta situação está longe de estar terminada.

“A Frogwares não criou a versão de The Sinking City que hoje está à venda no Steam. Não recomendamos que comprem esta versão. Mais notícias em breve,” é afirmado pela produtora na sua conta Twitter.

Em janeiro, quando foi revelado que o título estava de regresso às lojas digitais, a Nacon, editora da obra, comentou que vai “continuar a sua ação na defesa dos seus direitos e deu continuidade a esta decisão do tribunal ao pedir às plataformas e aos sites para colocar The Sinking City novamente online para que ninguém seja refém desta situação”.

Antes, num comunicado publicado em agosto de 2020, quando foi então revelado que The Sinking City deixaria de estar disponível para compra, a Frogwares acusou a Nacon de “várias quebras” nos contratos de publicação celebrados entre ambas.

Importa ainda acrescentar, todavia, que entretanto o jogo acabou por ser publicado na PlayStation 5, como tivemos oportunidade de noticiar aqui. Quem comprou a versão PlayStation 4 da obra não tem direito a uma atualização gratuita para a nova versão. O motivo, segundo a Frogwares, está relacionado com a batalha legal que continua.

Sobre o jogo propriamente dito, o VideoGamer Portugal teve oportunidade de o analisar aquando do lançamento original. “O jogo não consegue ser excelso em nenhum dos seus parâmetros que não sejam as cenas de investigação - sem grande surpresa, a componente onde a produtora tem mais experiência,” ficou por escrito.

Continuem a conversa nos fóruns VideoGamer!