A Riot Games comprometeu-se, pela mão de Anna Donlon, Produtora Executiva de Valorant, a combater o sexismo na comunidade do seu atirador na primeira pessoa competitivo, depois de várias jogadoras terem partilhado as suas experiências pessoais no Twitter (via VG247).

Uma dessas jogadoras foi Riot Greenily, Designer de UX em League of Legends, que partilhou um video na rede social de uma das suas sessões de jogo em Valorant, na qual é possível ouvir um jogador a fazer comentários inadequados para com a sua companheira de equipa e até a recorrer a insultos verbais.

Segundo Greenily, a situação não é nova, nem exclusiva à comunidade de Valorant, com a Designer a referir que "quero viver num mundo onde este rapaz não anda por aí a destruir os jogos de outras pessoas. Onde as pessoas se sentem seguras para se queixarem".

"Por favor não sejam este tipo que gritou "OH MEU DEUS É UMA RAPARIGA" assim que falei; que me chamou 'babe'/agiu como se eu fosse namorada dele durante todo o jogo. Tive de curar este rapaz porque estou a tentar ganhar e isso foi MAU," escreveu ainda Greenily.

Em resposta à publicação original, a Produtora Executiva de Valorant lamentou a situação e referiu que a produtora vai combater o problema exaustivamente. "Nojento, isto é bastante perturbador. É por isto que não posso jogar a solo. Lamento imenso. Estamos arduamente à procura de soluções de longo prazo para tornar Valorant uma experiência mais segura - mesmo em solo!"

Valorant está atualmente em beta no PC, plataforma em que deverá ser lançado de forma oficial este verão.

Continuem a conversa nos fóruns VideoGamer!